Educação e Saúde 


Agência Focaia
Adailson Pereira


Um tema tabu. O debate sobre o suicídio muito tempo gerou muita polêmica e muitas vezes distante do jornalismo, especialmente, e das instituições, dentre elas a educação, preferiram muitas vezes, ocultar a discussão, temendo à ordem social. Assim evitando a atenção para um ponto sensível à sociedade. Porém, os professores da UFMT, Campus Araguaia, decidiram tratar da questão com destaque, no seu 3° Encontro de Saúde Mental do Médio Araguaia (ESAMMA).

O evento será realizado será hoje (28) e amanhã (30), às 19 horas, no Anfiteatro Fernando Peres de Farias, anexo a Prefeitura Municipal de Barra do Garças.

A temática já desperta preocupações de várias entidades da saúde e faz parte de campanha nacional e mundial sobre conscientização e prevenção do suicídio, que ocorre nesse mês, chamado de setembro amarelo. Debates que são promovidos por instituições nacionais e internacionais, com mais de cinco décadas de atividades de conscientização.

Na região, o ESAMMA surgiu em 2014, sendo coordenado pela professora Alisséia Guimarães Lemes, com acadêmicos e colaboradores do projeto acadêmico “Saúde Mental”. Mato Grosso é o terceiro Estado brasileiro que mais cresce o número de suicídios no país. Nos anos entre 2015 a 2016 o aumento de casos chegou a 53%, conforme publicação da Secretária de Segurança Pública do Estado de Mato Grosso.

As inscrições para participação no evento estão encerradas e o número de inscritos ultrapassa 300 pessoas, superando o público das edições anteriores. Como contribuição , os organizadores colocaram como valor de ingresso o pagamento com doações de 5 Kg de alimentos não perecíveis. Os produtos arrecadados serão doados para entidade terapêutica e ao Lar da Providência em Aragarças (GO).

A professora coordenadora do projeto destaca que houve consenso entre o grupo de idealizadores para adiantar o evento, “que era realizado em dezembro para setembro, considerado setembro amarelo, mês da conscientização e prevenção ao suicídio”. Deste modo, segundo Lemes, por ser uma atividade também acadêmica da UFMT Araguaia, buscou-se “encerrar nossas ações com o evento científico para os profissionais da área de saúde educação e comunicação social", finaliza.