Pesquisa


Agência Focaia
Fonte – UFMT/ASCOM



A pesquisa, ensino e a extensão ganharam destaque na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) nos últimos oito anos. Neste período, houve um salto no desenvolvimento das ações no âmbito universitário, segundo os dados apresentados no Relatório de Gestão 2008-2016.

Entre 2008 e 2015, houve um crescimento de aproximadamente 20% no registro de projetos de pesquisa, conforme relatório. Já nas pesquisas em andamento, o aumento foi de 66,5%. 

Dados do Diretório de Grupos de Pesquisa, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), coletados em maio deste ano, apontam um crescimento de 50% no número de grupos em atividade na UFMT, comparado ao período de 2008. No mesmo período, o número de bolsas custeadas pela própria UFMT aumentaram 190%. Apenas na última seleção, o número de bolsas saiu de 33 para 180, afirma nota da Assessoria de comunicação da instituição

Outro destaque das ações que impactaram nas pesquisas desenvolvidas na UFMT foram os recursos captados pela Pró-reitoria de Pesquisa (PROPEq),  através dos editais da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). No período, foram captados mais de R$ 34 milhões, que foram revertidos para o investimento em infraestrutura.


Com o desenvolvimento das pesquisas, outro setor que ganhou destaque foi a inovação. Para gerir a política da área na UFMT, a universidade institui o Escritório de Inovação Tecnológica (EIT). Entre 2012 e 2016, as ações foram focadas em três eixos estratégicos (Cultura do Empreendedorismo, Cultura da Inovação, Alianças Estratégicas) e um administrativo-financeiro. 

Neste mesmo período, conforme a instituição, a unidade estabeleceu mais de 32 parcerias e convênios com empresas e instituições governamentais. Quanto ao registro de patentes, o número é expressivo. Em 2013, houve apenas um; em julho deste ano, o número chegou a dez.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.