Governo de MT não tem recursos para pagar RGA, diz Taques




Fontes:TV Record - Jornal Meio Dia / Gazeta (Cuiabá)

O Governador de Mato Grosso, Pedro Taques (PSDB), afirma em entrevista ao Jornal Meio Dia da Rede Record de Cuiabá, que fez mais de cem reuniões com sindicatos do Estado, inclusive com presença pessoal em algumas delas, mas não conseguiu acordo com o funcionalismo estadual. Sobre a ocupação das escolas estaduais segue negociando com os estudantes e que a Parceria Público Privada (PPP) será feita, mas após diálogo com as comunidades escolares. 

 
Como sinaliza na entrevista o governador mato-grossense, a proposta dos alunos vai além da ações políticas e tem cunho ideológico partidário de oposição ao Palácio Paiaguás, pois como pontua, os jovens nas escolas usam camiseta com dizeres favoráveis ao Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), "Volta Dilma". Taques se intitula como um dos primeiros políticos brasileiros a defender o impeachment do governo petista.

Efetivamente, de acordo com notícia publicada pelo Jornal Gazeta (Cuiabá), na educação, 85% das escolas estaduais em Mato Grosso estão paralisadas. O Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT), informa que 67 municípios do Estado disseram não a nova proposta feita para o pagamento da RGA.

Para o governador não é possível pagamento do Revisão Geral Anual (RGA) de 28,11% na integralidade para o funcionalismo público de Mato Grosso. Taques pontua que fez mais do que muitos estados, os quais não pagaram o aumento (atualização do índice inflacionário). Segundo ele a sua gestão fez propostas, mas que não foram aceitas pelos sindicatos, mantendo à greve. 

Sobre aumento da taxação do agronegócio, questionado pelos servidores sobre a solução para a crise do caixa do Estado, Taques diz que pessoalmente é contra exportação de impostos em um país convivendo, no momento, com crise econômica e desemprego.


0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.