UFMT será palco do evento Intercom Centro-Oeste em 2017



Agência Focaia

O evento Intercom Centro-Oeste, realizado em Goiânia que se encerrou neste sábado, se visto pela intensa movimentação, parece atingido as expectativas dos estudantes de comunicação da região com  palestras, mesas de debates, apresentação de artigos e trabalhos orais. Os futuros jornalistas da UFMT, do Campus Universitário do Araguaia (CUA), marcaram presença durante a semana com defesa de artigos científicos e exposição de produtos de mídia. No final, no momento da entrega dos prêmios subiram ao palco por duas vezes, como vencedores. 

 
Nas atividades de pesquisas, as alunas Juliana Santana e Karin Sampaio fizeram defesa de artigos científicos, com sala cheia de outros estudantes-pesquisadores, com discussão sobre os temas, respectivamente: narrativas do jornalismo brasileiro sobre a redução da maioridade penal e as estórias sobre os impeachments de Collor e Dilma, numa análise política. 

No Teatro PUC, principal espaço para discussões da comunicação, passaram vários palestrantes das universidades da região, como UnB, UFG, UFMS, UCB, cuja linha de pensamento, que se mostrou hegemônica, girou em torno da inserção das novas mídias no jornalismo, com entendimento de que as mudanças no Jornalismo, nestes tempos tecnológicos, são inevitáveis. No entanto, não há definitivamente consenso na matéria, pois alguns pesquisadores pontuam que, mesmo com as transformações no suporte midiático, manterá o seu eixo, em conformidade com a herança das mídias tradicionais. Retomando pensadores do meio, como Marshall Mcluhan, os debatedores afirmam que os veículos impressos, como exemplo, não acabam, mas se renovam ao longo do tempo. Deste modo, uma discussão em voga, merecedora de outras análises.

Entre os vários pesquisadores o professor da UnB, Luiz Martino, segue neste debate e destaca que em circunstância da prática do jornalismo da atualidade, sobretudo no terreno da política, é preciso dar ênfase a discussão sobre o meio de comunicação em si. De modo que não se deve levar em consideração somente os conteúdos midiáticos, mas a inserção do veículo de comunicação na vida das pessoas. Segundo Martino, o meio ganha importância para o conhecimento social, por isso, os pesquisadores devem se debruçar sobre este objeto, devido ao seu reflexo sobre a realidade social, com vistas à democracia. 

A discussão sobre a ética fez parte dos debates do evento Intercom regional, na PUC/GO, com análises da atuação do jornalismo no processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. A rigor, o golpe, como defendido por alguns palestrantes, tem a mídia como protagonistas no desfecho político, com a retomada de um governo que se revela conservador.

No final, com palco iluminado e com muita fumaça, as disputas pela premiação dos trabalhos dos estudantes do Centro-Oeste, encerram com as batidas da música eletrônica mixada por disc jockey. Ritmos musicais e muitos gritos de vencemos tomou conta da última noite, com direito a poses, fotos, pulos e muitos sorrisos. 

Apesar do cansaço estampado no rosto de pesquisadores, estudantes e organizadores, surge o desejo de novos debates sobre a comunicação no próximo ano, que desta vez será realizado na Universidade Federal de Mato Grosso, UFMT.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.