UOL Esporte


Ampliar


26 / 26
André Henning, narrador do Esporte Interativo Divulgação
Responsável por narrar o primeiro título mundial do Brasil no handebol, o locutor do Esporte Interativo André Henning disse que os brasileiros devem lamentar a dificuldade que tiveram para acompanhar a decisão. Em entrevista ao UOL Esporte, ele afirmou que não ficou chateado por não poder transmitir o duelo para todos no país.
“Acho que muita gente viu, as pessoas deram um jeito, se reuniram na casa de quem tinha Esporte Interativo, acompanharam pelo computador. Não me chateio, quem tem de se chatear é o cliente, o cara que não pôde ver, o cara que foi impedido, mas acho que muita gente viu, não acredito que tanta gente tenha ficado sem ver”, disse o narrador.
De acordo com André Henning, a transmissão deste domingo foi a mais importante da sua carreira como jornalista, que tem até a final da Copa do Mundo de 2002 como repórter da rádio Transamérica.
“Eu ainda nem sei o tamanho disso. Primeiro pelo tamanho da conquista, depois o que significou ver essa conquista na minha voz, se emocionar com a minha transmissão. É uma honra fazer parte disso, sem dúvida, não tem transmissão maior. Para mim, foi a minha Copa do Mundo, fiz parte da transmissão do pentacampeonato como repórter, mas a minha emoção foi maior [no handebol]. Eu me emocionei ao ver o choro daquelas meninas, era legítimo. Eu realmente me envolvi, foi um momento histórico. Minha Copa do Mundo foi em dezembro de 2013”, afirmou.
Ampliar


22 / 27
Jogadoras do Brasil comemoram título mundial inédito já com o troféu conquistado ao bater as donas da casa por 22 a 20, na Sérvia Leia mais EFE/EPA/GEORGI LICOVSKI
Conhecido por seu jeito empolgado de comandar as partidas, Henning falou que gosta da liberdade que tem para se envolver com as transmissões.
“Não sei se consegui não passar dos limites, mas não estou preocupado, claro que tenho noção para não ficar ridículo. Neste Mundial específico, me envolvi demais, já tinha sido assim na volta do basquete para as Olimpíadas. Eu me envolvo, estou na cabine transformando tudo aquilo que tenho vontade de falar, não preciso me policiar, narrar desse jeito é gostoso. Se passar do limite, vai ser compreensível porque me emociono mesmo”, falou o narrador.
Como o Esporte Interativo já havia transmitido o Mundial de 2011, no Brasil, o locutor disse acreditar que os familiares das atletas não tiveram dificuldades para acompanhar a competição deste ano, pois conheciam o caminho para ter o canal.
A exclusividade do canal fez com que emissoras como a TV Globo passassem imagens com o logo do Esporte Interativo em programas como o “Domingão do Faustão”. Na última sexta-feira, após a semifinal, o mesmo já havia acontecido com o Jornal Nacional.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.