Rede social Kekanto é uma das empresas que já apostam na profissão de gestor de comunidades. Confira as dicas para se dar bem na função



Divulgação
Allan Gonçalves, gestor de comunidade no Kekanto
Allan Gonçalves é gestor de comunidade no Kekanto: criatividade foi fator preponderante para ele assumir a função
São Paulo – A gestão de comunidades aparece na lista das 20 profissões do (e com) futuro, publicada recentemente em EXAME.com. Mas, para empresas como o site Kekanto já é uma realidade ter este tipo de profissional na equipe.
“O Kekanto é uma rede social que reúne pessoas que gostam de falar sobre as cidades, é um grupo que gosta também da parte off-line de eventos. Então precisamos de alguém que tome a liderança nesses processos e o gestor de comunidades é fundamental”, diz Fernando Okumura, CEO do Kekanto.
Mas, afinal, o que faz o gestor de comunidades? “Gestão de mídias sociais é apenas uma parte das funções”, adianta Okumura. De acordo com ele, o gestor de comunidades faz toda a interação on e off-line com os usuários. Vale destacar que a questão da comunicação fora do ambiente virtual é algo bem particular do Kekanto e geralmente não entra no “job description” do gestor de comunidade. 
“Além da comunicação, no Kekanto, ele tem o papel de relações públicas, organiza eventos, cuida da parte comercial de relacionamento com donos de estabelecimentos e parceiros e produz conteúdo jornalístico”, diz Okumura.
Aliás, foi esta questão de organização de eventos que fez com que Allan Gonçalves se destacasse e conquistasse uma vaga como gestor de comunidades no site. 
Formado em cinema, ele começou como social media e, após organizar voluntariamente um evento com 90 usuários do Kekanto em São Paulo, foi promovido a gestor de comunidade. “A migração foi tranquila pra mim. Estava encantado com a área e já tinha organizado dois eventos informalmente”, conta. 
Achou interessante? Confira 4 toques para ter sucesso como gestor de comunidades.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.