Em São Paulo, jovens se mobilizaram pelo passe livre no transporte público

Celso Bejarano Do UOL, em Campo Grande (MS)
Estudantes em Campo Grande (MS), do ensino fundamental até a universidade, não pagam passagem no transporte público há quase 20 anos. Eles somam 50 mil alunos e a gratuidade custa em torno de R$ 30 mil diários, segundo cálculo da Assetur (Associação das Empresas de Transporte Urbano). 
A Lei 3026/93, de 27 de dezembro de 1993, instituiu o Passe do Estudante, "entendido como um passe gratuito de ida e outro de volta ao estudante do 1º, 2º e 3º graus do ensino oficial, nos serviços de transporte coletivo urbano do município". 
Desde o início dos protestos por redução na tarifa de ônibus na cidade, o passe do estudante tem sido debatido pela prefeitura, empresários do transporte e a Câmara dos Vereadores.

Para a Assetur, sem a gratuidade aos estudantes, a tarifa, que caiu depois das manifestações de R$ 2,85 para R$ 2,75, poderia ser mais barata, em torno de R$ 2,20. 
A associação informou que a gratuidade aos alunos representa 22% do valor da tarifa. Agora, os vereadores estudam a criação de um subsídio como meio de compensar o passe dos estudantes. Para garantir dois passagens de ônibus por dia, o aluno precisa provar que mora a dois quilômetros da escola.
Além dos estudantes, a gratuidade 100% é disponível na cidade a cerca de 30 mil idosos e outras 11 categorias, entre as quais carteiros, policiais, presidentes de associações de moradores e oficiais de justiça e clube de mães.
A planilha de custo divulgada no ano passado pela prefeitura revela que 72% dos usuários bancam o custo total do sistema de transporte coletivo. Isso quer dizer que 28% dos usuários não pagam nada.
Ainda segundo levantamento da prefeitura, por mês, os ônibus transportam 6.586.504 passageiros, entre os quais 4.786.647 pagam passagem. A planilha da prefeitura revela também que cada quilômetro rodado custa R$ 4,44, o que equivale a 1,5 passageiro.

Senado vota passe livre estudantil

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), marcou para esta quarta-feira (3) a votação do projeto que cria passe livre para os estudantes no transporte público. Autor da proposta, Renan disse que o Legislativo precisa dar "respostas rápidas" às demandas da população.

Leia também: 
Movimento Passe Livre - São Paulo
Por uma vida sem catracas

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.