Congresso

Agência Focaia
Redação
Adailson Pereira

     
     Fotos: Adailson Pereira


Professora do curso de Enfermagem, da Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Araguaia (UFMT/CUA) recebeu um convite para ser palestrante no 3° Congresso Mundial de Saúde Pública e Nutrição realizada em Londres. Queli Lisiane Castro Pereira é pesquisadora e coordena na instituição o projeto “Sementinha: não vai dar zika”, além da pesquisa sobre gestação e Zika vírus. O evento londrino será  realizado nos dias 26 a 28 de fevereiro de 2018.

O congresso visa acelerar descobertas científicas e marcos importantes no campo da saúde pública. O tema do 3° Congresso Mundial de Saúde Pública e Nutrição é "Impedimento para a Exploração de Desafios de Saúde Pública no mundo globalizado", e pretende reunir os principais profissionais de saúde, pesquisadores, acadêmicos entre outros capacitados.

Segundo Pereira, o convite partiu do diretor de programa “saúde pública 2018”, Adam Smith, que acompanhou o trabalho de pesquisa coordenado pela professora divulgado na internet. Ela ainda ressalta que a sua participação em evento no exterior demonstra que as pesquisas feitas na universidade estão tendo visibilidade e reconhecimento internacional. “Não estamos em um eixo de evidências, que é o Sul e Sudeste, estamos numa cidade do interior de Mato Grosso, e pra universidade isso é muito relevante”, analisa.

 A professora do curso de enfermagem diz que sua participação no congresso não seria fácil, já que o evento não paga as despesas dos palestrantes. No entanto, na busca de alternativas para custear os gastos com a viagem para o país europeu, a pesquisadora recorreu à reitoria da UFMT em Cuiabá. De acordo com Pereira, a reitora Myrian Thereza de Moura Serra disse que a universidade vai pagar as despesas com a viagem. A professora ainda relata que para receber o auxílio tem que formalizar o processo de afastamento do país.

Pesquisa

O grupo de pesquisa é composto por 11 acadêmicos, sendo nove estudantes do curso de Enfermagem da UFMT/CUA e duas doutorandas da Universidade Federal do Rio Grande (FURG).  O trabalho realizado pela professora consiste na prevenção da Zika em gestantes e mulheres com idade reprodutiva. A pesquisa é feita com gestantes da cidade de Pontal do Araguaia em parceria com a Secretaria de Saúde do município.

Os componentes do grupo de pesquisa fazem visita na casa dos moradores, informando sobre a importância da conscientização em utilizar medidas preventivas sobre a Zika. Outros objetivos da pesquisa segundo Castro é a redução vetorial do mosquito Aedes Aegypti e orientar o planejamento familiar nas escolas de ensino médio, a fim de prevenir gestação indesejada em época de epidemia.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.