Greve

Agência Focaia
Redação 
Vasco Aguiar

Reprodução




Os trabalhadores técnico-administrativos da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) iniciaram seu movimento paredista no dia 10 deste mês, e completou uma semana na última sexta-feira (17). A greve tem como foco principal impedir o avanço de projetos que instalam a cobrança de mensalidades nas universidades federais, o desmonte da carreira dos técnicos administrativos, além de um posicionamento contrário as reformas trabalhistas e da previdência.

No Campus Araguaia da universidade, segundo nota da SINTUF (Sindicato dos Trabalhadores Técnicos-Administrativos em Educação), a greve segue com os seguintes eixos: defesa da carreira dos técnicos, negociação salarial, contra ao aumento da contribuição previdenciária, em defesa do ensino superior público, gratuito e de qualidade, em defesa dos serviços públicos, contra a demissão por avaliação negativa e em defesa dos hospitais universitários.

(Fonte: Site Sintuf).

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.