UFMT Araguaia promove encontro do Gelco 2017

Evento acadêmico

Agência Focaia
Reportagem 
Vasco Aguiar



    Fotos: João Paulo Fernandes
Lançamento de livros durante o Gelco.

Aconteceu na última semana, entre os dias 30 de agosto a 01 de setembro, na Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Araguaia (UFMT/CUA), o II Encontro Internacional e VIII Encontro Nacional do Grupo de Estudos de Linguagem do Centro-Oeste (Gelco), com o tema “Transnacionalização, multi e interculturalidade linguística e literária”. Fez parte da programação do evento, conferências, mesas-redondas, minicursos, grupos de discussão, sessões coordenadas, pôsteres, lançamentos de livros e apresentações culturais.

O Gelco reúne professores, pesquisadores e acadêmicos de Linguística, de Literatura, de Línguas e áreas afins, integrados a instituições de ensino e pesquisa, sediadas na região Centro-Oeste do Brasil, com o objetivo de promover o desenvolvimento da pesquisa e do ensino dessas áreas no Brasil.

Diretora do Instituto de Ciências Humanas e Sociais (ICHS) da UFMT/CUA e presidente da comissão organizadora do encontro, Lennie Aryete Dias Bertoque vê no Gelco oportunidades para a região. “A realização de um grande evento na UFMT Araguaia, em Barra do Garças, cria possibilidades de consolidar a cidade como pólo de educação e ciência e divulgar o potencial turístico que existe aqui”. A professora também enxerga o encontro como uma maneira de dar visibilidade as demandas do ICHS, “como a implantação de mestrado e doutorado na área da educação e o estabelecimento de convênios e intercâmbios com instituições estrangeiras”, aponta.


Minicursos e palestras

Professor da UFMT/CUA, Gilson Costta orienta participantes da oficina de produção audiovisual.

No segundo dia de evento foi ministrado um minicurso sobre “Produção audiovisual com tecnologia doméstica”, o responsável foi o professor Gilson Moraes da Costta, da UFMT Araguaia. Ele explica que o objetivo da oficina foi desmistificar a produção audiovisual, mostrando que a partir do uso de tecnologias domésticas é possível realizar produções de alto nível técnico e estético. “A intenção é que os participantes possam replicar isto em outros universos, como salas de aula, movimentos sociais e a partir dessa ideia básica se apropriar dos equipamentos domésticos”, conclui.

Participando do evento como palestrantes, a Professora Aurea Santana (UFMT) juntamente com o Professor Wary Kamaiurá Sabinoá (Seduc-MT) falaram sobre a descrição e análise de línguas indígenas. Para  Santana, falar deste assunto é sempre importante, além disso é essencial e urgente fazer este trabalho. “Temos uma pluralidade linguística muito grande, e uma carência de estudos descritivos”. Segundo a professora a descrição de línguas indígenas contribui para a continuidade e manutenção do uso destas línguas.

Professor Kilwangy Kya Kapitango-a-Samba, da Unemat (foto ao lado), abordou em sua palestra o tema ”Políticas Educacionais para a Formação de professores”’. Ele aponta a necessidade de refletir sobre o processo de produção das políticas de formação do professor na educação básica. “Hoje estamos num cenário preocupante tanto do ponto de vista político quanto no que se refere às decisões tomadas que não são operacionalizadas”. Segundo o professor tais decisões interferem de maneira profunda no processo de formação de um profissional que se quer para uma nação avançar, referindo se ao âmbito da educação e aprendizagem dos estudantes.Nossa discussão é para que nós professores, possamos empoderar as discussões e ser mais pró ativos nesse debate”, conclui.


Voluntários

O trabalho voluntário foi importante para a realização do encontro. Estudante do curso de Geografia da UFMT/CUA e voluntário, Victor Santos diz que participar do Gelco foi um grande aprendizado. “Fico feliz em fazer parte de um evento de grande porte como este, foi gratificante”. Ele aponta que a oportunidade de ter contato com novas pessoas, tanto da cidade quanto de fora foi uma das melhores experiências que o Gelco lhe trouxe. Além disso ele afirma que “o trabalho foi duro mas quando fazemos em equipe tudo funciona, torna-se produtivo”, conclui.  


História


O Grupo de Estudos de Linguagem do Centro-­oeste (Gelco) é uma sociedade civil, sem fins lucrativos e sem caráter político-partidário, que congrega professores, pesquisadores e acadêmicos de Linguística, Literatura e Línguas, integrados a instituições de ensino e pesquisa sediadas na região Centro-oeste. Além de outros profissionais das diversas áreas de estudos da linguagem, a fim de fomentar discussões sobre o desenvolvimento da pesquisa e do ensino dessas áreas no Brasil. As discussões são apresentadas oficialmente em encontros regionais, nacionais e internacionais, realizados bienalmente.


Fontes: 
Página do evento no Facebook e site oficial do Gelco.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.