Política

Agência Focaia
Redação
Adailson Pereira



Foto: Vasco Aguiar


A Associação dos Docentes da Universidade Federal de Mato Grosso (ADUFMAT), irá aderir à paralisação, nesta sexta-feira (30), contra a reforma trabalhista, em defesa dos direitos e da aposentadoria.

Na última quarta-feira (28), a Comissão de Constituição e Justiça do Senado (CCJ) aprovou o relatório de Romero Jucá (PMDB-RR) favorável à reforma trabalhista e sem alterações ao texto aprovado pela Câmara dos Deputados. Segundo o portal G1, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) também aprovou o pedido de urgência do projeto. Se o plenário confirmar o requerimento, o texto poderá ser votado pelo Senado após duas sessões.

De acordo com o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), o projeto deverá entrar em votação antes do recesso parlamentar, que acontece no dia 17 de julho. O senador afirma que a análise da proposta será concluída na próxima semana.

Preocupados com o atual cenário político, frente a possível aprovação da reforma trabalhista no Senado, os docentes sindicalizados à Adufmat-Araguaia participam das atividades, que estão previstas pelas centrais sindicais e pelos movimentos sociais para amanhã, no centro de Barra do Garças, MT.

Segundo a professora da UFMT/CUA e sindicalista, Márcia Cristina Pascotto, os manifestantes irão se concentrar a partir das 7h30 na sede do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep), seguindo até a praça Sebastião Júnior. Em seguida, fazem protestos na ponte que dividem os estados de Mato Grosso e Goiás. 

De acordo com Pascotto, além dos sindicatos que participaram na Greve Geral do dia 28 de abril, os trabalhadores moto taxistas também estarão presentes na manifestação, no ato de repudia contra as reformas do governo Michel Temer (PMDB).

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.