Em Barra do Garças, Xavantes estão nas telonas

Cinema


Gazeta (Cuiabá)
Redação
Luiz Fernando Vieira

Não é de hoje que os povos indígenas começaram a se valer dos recursos tecnológicos para registrar seu dia a dia, cultura e tradições. Entre eles, um dos mais ativos nesse sentido é o Xavante, cuja produção ganha a mostra especial entre os dias 30 de novembro e 3 de dezembro, em Barra do Garças (MT). Além das sessões de filmes indígenas, serão realizados debates e oficina de produção audiovisual.

A I Mostra de Cinema Xavante visa à promoção, divulgação e debate sobre a produção audiovisual deste e de outros povos indígenas. É uma iniciativa da Coordenação Regional Xavante juntamente com o cineasta Divino Tserewahú Tsereptsé (coordenador indígena do projeto), apoiada pelo Programa de Apoio a Projetos Culturais 2016 do Museu do Índio e realizada pela Fundação Nacional do Índio (FUNAI), Coordenação Técnica Local de Nova Xavantina e o Núcleo de Produção Digital (NPD).

A proposta surgiu a partir da demanda levantada do projeto cultural “Cinema nas Aldeias Xavante: ver, ouvir e debater”, com exibição de filmes indígenas em 12 aldeias nas Terras Indígenas Parabubure e Ubawawe, desenvolvido pela Coordenação Regional Xavante ao longo de 2015. A mostra tem o objetivo de promover e divulgar a produção audiovisual feita pelo ou sobre o povo Xavante em quatro dias de reflexão, formação e debates.

Entre os sete filmes que serão exibidos está Martírio, do cineasta Vincent Carelli, produzido dentro do programa Vídeo nas Aldeias e em exibição nos grandes centros do país. Martírio tem sido aclamado por dar voz e imagem à história e luta pela terra e sobrevivência do povo Guarani Kaiowá, em Mato Grosso do Sul. Tonico Benites, consultor Guarani Kaiowá do filme, será o debatedor da noite. “Apesar do filme não ser sobre o povo Xavante, ele traz questões centrais e atuais na discussão sobre os povos indígenas, sendo uma oportunidade única para exibir um filme tão importante na região do Araguaia-Xingu”, pontuou Maíra Ribeiro, responsável técnica do projeto pela Funai.

Na programação, haverá também Mostra Escolar durante o dia e sessões de filmes indígenas seguidos de debate no período noturno. As sessões são gratuitas e ocorrerão às 19h nos dias 30 de novembro, 1 e 2 de dezembro, no auditório do Sintep de Barra do Garças (Rua Goiás, 253, Centro). 

“A Mostra de Cinema Xavante é uma iniciativa muito importante para o povo Xavante. Nela se pode entender como o cinema indígena trabalha com o registro e a memória de sua cultura e de sua história. Os jovens que participarão da oficina vão começar a sentir o que é registro, o que é a imagem, o que é cinema”, salienta Divino Tserewahú, que é o diretor do filme Daritidzé - Aprendiz de Curador, também em exibição na Mostra.

Para mais informações sobre a I Mostra de Cinema Xavante, clique aqui.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.