Música e Cultura



Agência Focaia
Vasco Aguiar 


Fotos - Adailson Pereira




Orquestra Sinfônica da UFMT em apresentação com os corais da universidade
 

Na cerimônia de posse de Myrian Serra, sexta-feira (14), em Cuiabá, na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), ocorreu o encontro entre os corais da UFMT, acompanhados da Orquestra Sinfônica da universidade. A convite da nova reitora, juntaram-se para a apresentação os corais infanto-juvenil, da terceira idade, o tradicional coral adulto de alunos da UFMT-Cuiabá, e como convidado, representando todos os projetos de extensão dos campi do interior, o Coral Canto Maior, do Campus Araguaia.

Na apresentação foram executadas três peças musicais; o hino nacional brasileiro, o hino do estado de Mato Grosso e a canção “Nos bailes da vida” do cantor e compositor Milton Nascimento. O evento teve a presença de autoridades, artistas e da comunidade acadêmica universitária.

O convite

O Regente Titular da Orquestra Sinfônica da UFMT, Fabrício Carvalho, se disse empolgado com a apresentação conjunta e explicou como surgiu o convite ao Coral Canto Maior. “Estava em Barra do Garças com a professora Myrian, para participar do Fórum de Assistência Estudantil. Nesta ocasião o Coral Canto Maior fez uma linda apresentação. Eu e Myrian conversamos e na hora surgiu a ideia de convidá-los para se apresentarem em sua posse com os demais corais da universidade e a Orquestra Sinfônica”.

Para Carvalho (foto ao lado) esta seria uma forma de dar representatividade aos projetos de extensão dos campi do interior. O regente confia no trabalho de Myrian e acredita que sua gestão será cuidadosa com as unidades regionais. Segundo ele, durante a cerimônia de posse, “ao juntar os corais infanto-juvenil e da terceira idade com os dois corais adultos é justamente para mostrar o alcance da UFMT junto as pessoas, vamos de oito à oitenta. É uma maneira que a Myriam tem de apresentar como vai pensar a universidade nestes próximos quatro anos de sua gestão, mais plural. ”


Intercâmbio
   
O maestro do Coral Canto Maior, Marco Donisete Campos, destacou a importância de haver intercâmbio entre os campi. “Foi realmente um desafio, mas também uma oportunidade de integração entre os coros da UFMT. Estamos familiarizados com nosso grupo apenas, geralmente constituído por uma determinada faixa etária, e quando você se depara com a necessidade de unir grupos heterogêneos, como ocorreu no concerto da posse, nos faz sair do lugar comum e entender as particularidades que são inerentes a cada grupo. E quando dá certo, como foi o caso, torna-se uma alegria para todo mundo, o objetivo maior foi atingido. ”

O regente da Orquestra Sinfônica avaliou como positiva a experiência de ter sob sua batuta um coro com mais de cem vozes, além de sua orquestra, “encarei a oportunidade de juntar os quatro corais como uma loucura boa (risos). Existe em comum entre as pessoas algo de positivo, que é a vontade de acertar. Apesar de nunca havermos trabalhado juntos antes, foi possível notar que a qualidade dos projetos culturais da UFMT é maior do que a distância física entre eles. Fizemos uma bela apresentação, justamente porque nosso propósito era o mesmo, levar música de qualidade e emocionar aos que nos assistem. “

Carvalho diz ser “fundamental o intercâmbio entre os campi, é necessário haver articulação entre eles. Enquanto era Pró-Reitor de Cultura, Extensão e Vivência da Universidade procuramos reproduzir o que fazíamos em Cuiabá também nos campi do interior, apesar da distância, mas era uma determinação nossa. Sei que isso vai continuar na gestão de Myrian, porque a UFMT é uma só, não pode haver diferenças entre as unidades, temos que pensar unificadamente. ”

Cultura

Carvalho, nomeado pela nova reitora como Secretário de Articulação e Relações Institucionais (Sari) aponta que os projetos culturais da universidade serão revigorados com a nova reitora. Se dizendo profundo admirador de Serra, enfatiza que ela além de ter “uma ligação umbilical com a UFMT, foi aluna, professora, diretora da faculdade, pró-reitora, passou por toda a estrutura universitária”.


Coralistas da UFMT Araguaia, a Reitora Myrian e o Maestro Marco
Já o maestro do Coral do Campus Araguaia, diz confiar que na gestão da nova reitoria os projetos culturais da universidade sigam sendo valorizados. “A professora Myrian recebeu o apoio de nosso coro por ter maior diálogo e abertura com as interfaces culturais. Acredito e desejo toda a sorte do mundo a ela para que continuemos construindo este espaço aberto a diversas manifestações, fazendo jus a democracia que a UFMT sempre valorizou. ”  

Campos lembra que “uma de suas propostas, era valorizar os espaços e programas que apoiam a arte na universidade. A criação destes espaços de discussão entre as diversas formas de arte, e também a criação de um fórum de arte cultura e extensão, para que haja uma política institucional sobre este tema, estavam em seu plano de campanha e com certeza serão implementados “, avalia.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.