Consciência política e as "massas"


 

Por Antonio S. Silva



A política brasileira passa por momento de crise e não diz respeito somente aos interessados pelo poder institucional, mas da própria população conviverá com os reflexos das disputas. Efetivamente, no Brasil há a tentativa de fortalecimento de tradicionais grupos de poder, que por um tempo apeados do poder, esperneiam para retomar com protagonistas do jogo - na refundação de arenas.


O papel de protagonistas numa sociedade democrática deve ser da sociedade, que valorize a igualdade, possível com a educação e justiça social com distribuição de rendas - talvez seja estranho consensos quando se tem minoria milionária e multidão na miséria. A radicalização do capitalismo (neoliberalismo) certamente atenderá grupos muito específicos, que pouco oferece a uma sociedade como a brasileira e latino-americana.

Portanto, a lógica do desejo momentâneo de beneficiar trabalhadores, pobres e oprimidos, no Congresso brasileira o serve apenas como forma de atingir objetivos, que são apenas temporários. As disputas políticas, longe de serem detestadas, devem levar ao posicionamento da população, no sentido de fazer valer estruturalmente seus valores, interesses, realidade.

De maneira particular, compreendo, que o conservadorismo político se torna sinônimo de "reacionário" para mudanças sociais importantes, mesmo no campo político, com ênfase na comunicação das mídias. A rua, deste modo, é um lugar de protesto, não de uma população que atende aos cantos das sereias, como massa de manobra, inconsciente pelos signos excludentes de poder.

Entrar na política é fundamental para pensar a democracia, mas como agente e não como utensílio para um cenário que atende ao conservadorismo, aos reacionários, ao modo de vida e cultura estrangeiras a nossa realidade. Talvez seja necessário refletir, antes de entrarmos em cena e a todo instante, sobretudo quando há crises políticas e institucionais. Afinal, a pergunta em voga é: o que nos interessa mesmo, neste jogo?

***

Antonio é Jornalista e professor UFMT - Campus Araguaia.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.