Gilmar Mendes queria ser indenizado por Rubens Valente 
(Imagens: Antonio Cruz/Agência Brasil /// Reprodução/TV Cultura)

Repórter da sucursal da Folha de S. Paulo na capital federal, Rubens Valente se dedicou ao mercado editorial em janeiro de 2014, quando lançou Operação Banqueiro. No livro, o autor analisou a relação do empresário Daniel Dantas com setores da imprensa, da política e do judiciário. Citado, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, se sentiu ofendido e moveu ação contra o jornalista e a editora responsável pela comercialização da obra, a Geração Editorial. O juiz do STF, entretanto, acaba de ser derrotado.
Mendes processou o jornalista três meses depois que o livro começou a ser comercializado, abril do último ano. Na ação, o ministro solicitava indenização de R$ 200 mil por danos morais. O pedido não foi acatado pela Justiça do Distrito Federal. Em decisão divulgada na quinta-feira, 7, o juiz Valter André de Lima Bueno Araújo, da 15ª Vara Cível do judiciário da capital federal, considerou que Operação Banqueiro não apresenta conteúdo que justifique a punição financeira por parte do escritor e da empresa responsável pela edição e comercialização.
“Em síntese, não foi demonstrada a divulgação de informação falsa ou o intuito difamatório nos trechos relacionados na inicial [ação], não sendo o caso, portanto, de acolher a pretensão do autor [Gilmar Mendes], afirmou Bueno Araújo em sua argumentação, conforme registra matéria da Folha. Apesar da decisão judicial divulgada nesta semana, a defesa do ministro do STF já anunciou que seguirá em busca de indenização por causa de “danos causados à imagem”, disse o advogado Rodrigo Mudrovitsch em contato com o jornal.
Leia mais no C-Se

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.