Hoje é o dia nacional das histórias em quadrinhos


No início do século XX, foi definido o conceito de histórias em quadrinhos e sua técnica começou a ser desenvolvida. Nas primeiras fases, as histórias apenas apresentavam aventuras de crianças e bichinhos, com muito humor.

Em 1929, ganharam muita popularidade e na década de 1930, o gênero "aventura" foi incorporado às histórias. Nessa Era de Ouro, surgiu mais um gênero, tipicamente americano: o super-herói, como o Super-Homem, de Siegel e Shuster. 

No Brasil, foi instituída a data 30 de janeiro pela Associação dos Cartunistas de São Paulo em homenagem à primeira publicação de uma história em quadrinhos brasileira - “As Aventuras de Nhô Quim” ou “Impressões de Uma Viagem à Corte” em 1839, de Angelo Agostini, cartunista italiano radicado no Brasil, porém eram distribuídas em jornais.

A primeira revista em quadrinhos publicada foi O Tico-tico, em 1905, dedicada às crianças, com seus primeiros números trazendo o personagem Chiquinho.

Com o tempo, nasceram heróis nacionais, como Lamparina, de J. Carlos; Reco-reco, Bolão e Azeitona, de Luis de Sá; Mônica e Cebolinha, de Maurício de Souza; O Menino Maluquinho, O Pererê, de Ziraldo, que marcou a população adolescente dos anos 60.

Vários outros cartunistas ganharam destaque pela criatividade: Henfil (personagens: Graúna e Zeferino), Péricles (personagem: O Amigo da Onça), Fernando Gonsales (personagem: Níquel Náusea), Angeli (personagem: Rebordosa), Millôr Fernandes, entre outros.

Atualmente, os quadrinhos servem de base para a educação, sendo utilizados na aprendizagem por terem forma mais agradável. Ao lado da televisão, do rádio, do cinema e da imprensa, as histórias em quadrinhos tornaram-se uma das mais importantes formas de expressão.

Aproveite este dia e conheça mais sobre esta arte!

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.