Criado por estudante holandês, protótipo teria custo de US$19 mil por unidade e poderia ajudar 800 mil pessoas com parada cardíaca por ano na Europa.



Alguém caiu no chão com uma parada cardíaca e não há nenhum desfibrilador por perto. O que fazer? Chame um “drone ambulância”.
Um estudante da Universidade de Tecnologia Delft, na Holanda, criou um protótipo de drone que pode navegar de maneira autônoma até um local em minutos e entregar um desfibrilador, um aparelho que pode ajudar a restabelecer o ritmo normal do coração.
O estudante de engenharia do produto Alec Momont criou o drone, que possui três rotores e um desfibrilador a bordo.
O drone seria basicamente uma versão móvel de um desfibrilador externo automatizado (AED), que são aparelhos leves, portáteis e que funcionam com baterias geralmente encontrados em shopping centers, estações de transporte e centros de convenção.
O protótipo também tem uma webcam para que as pessoas no local da emergência possam se comunicar com os médicos sobre como cuidar do paciente.
O drone de 4kg possui uma estrutura de fibra de carbono e microestruturas impressas em 3D. O aparelho realiza navegação via GPS e encontra sua localização usando o sinal do telefone celular de quem ligou. 


Leia mais

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.