A Folha de São Paulo e o Observatório da Imprensa noticiaram no sábado 14/12/2013 a morte do embaixador Manoel Pio Corrêa Jr. O mesmo fato, a mesma data, a mesma personagem, mas com abordagens completamente diferentes. Para a Folha, tratava-se da morte de um bom velhinho, que adorava viagens e livros, especialista na Revolução Francesa, poliglota. Para o Observatório, tratava-se da morte um colaborador ativo do regime militar, golpista e dedo-duro, espião da CIA, criador do CIEx, o serviço secreto do Itamaraty que vigiou Jango e Brizola, autor da denúncia que provocou a demissão do poeta e compositor Vinícius de Moraes, etc.
A disparidade de abordagens é tal, que dispensa interpretações. Basta a leitura das duas matérias para que se possa constatar a que raias de descalabro chega a falsa imparcialidade da grande imprensa brasileira. Para que você tire suas próprias conclusões, leia a transcrição das duas matérias publicadas no no site sul21.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.