Escrito por Thiago Ermano (*)

Conhecer intimamente seu negócio é um processo orgânico e fundamental para a criação e desenvolvimento de um plano estratégico de Comunicação que seja eficiente e gere lucro. Onde estão seus consumidores? O que esperam de seus produtos ou serviços? Como tornar sua startup em uma empresa escalável, para crescer ordenadamente, tendo alta rentabilidade e baixos custos?

A melhor maneira de entender essas e (centenas de) outras questões está no planejamento de marketing – ferramenta é vital e para tomar decisões e planejar as vendas e os riscos que o antecedem. Nesse capítulo do Manual do Empreendedor vamos focar na análise de dados, em dicas para a criação de um plano de comunicação e em citaremos dois dos principais meios de se conseguir visibilidade da startup nos diversos canais midiáticos.

Vamos abordar alguns pontos gerais, que poderão ajudá-lo a formar um bom plano de comunicação. Primeiro, converse com pessoas com experiências, mas evite a ideia de que existe um “padrão” a seguir. Nem sempre o que deu certo em uma empresa deve funcionar na sua. Acredite: situações diferentes pedem medidas diferenciadas e não há padronização de soluções.


gestao"Busque informações sobre ferramentas de baixo custo que o ajudam a abrir uma página na web"

CONHECENDO SEU NEGÓCIO

Pesquisar sempre gera vantagens competitivas. Comece com pesquisas na internet, junte dados de mercado, estatísticas do setor, informações sobre concorrentes e, também, saiba tudo que puder sobre empresas similares ao seu modelo de negócio.

Depois de coletar dados, selecione alguns dos principais veículos jornalísticos (portais online, jornais, revistas, emissoras de rádios e TVs), especializados na área em que atua sua startup e faça desse “estudo” uma outra ferramenta útil, que o ajude a se informar sobre seus mercados e correlatos.

Uma dica para economizar tempo é fazer cadastros nas páginas principais de sites referências para receber newsletters. Tente não perder o foco e só busque os sites confiáveis para você – se tiver dúvidas, peça a opinião de pessoas que sejam do setor em que atua.


INFORMAÇÃO + ANÁLISE = VANTAGENS

Já se informou? Então é hora de criar um meio de se entender com esse novo universo do conhecimento para, depois, validar/experimentar as ideias e insights – as intuições contam, não despreze seus instintos. Não importa os métodos, ou de que forma visualizará essas informações, apenas crie uma maneira de entender os caminhos para atingir quem importa.

Você aprendeu algo e conseguiu tirar boas lições? Então, teste, ponha à prova (validação).
Ganhou conhecimento sobre seus produtos, serviços e acredita que existem formas de se reduzir ainda mais os riscos de erros nos negócios? Ótimo! Você estará pronto para os próximos passos: colocar no papel informações básicas sobre o negócio e as qualidades de seus produtos/serviços.


EXPERIMENTANDO CANAIS

Dentro do marketing existem canais que devem ser utilizados por uma empresa que segue o modelo de startup. Um deles é o próprio site. Sem esse canal de acesso remoto fica praticamente inviável mostrar seus produtos ou serviços para clientes, possíveis investidores e parceiros.

Busque informações sobre ferramentas de baixo custo que o ajudam a abrir uma página na web, sem a necessidade de investimentos pesados. Porém, lembre-se que você deve ficar focado no negócio e não na construção do site. Invista na contratação de um bom profissional, afinal, o site será seu primeiro canal de contato com os clientes e parceiros!


FORMADORES DE OPINIÃO

Outra forma de você ter acesso a diversos canais de comunicação simultaneamente é por meio da assessoria de imprensa. Jornalistas e relações públicas são especialistas em criar relacionamentos com a imprensa, buscando espaços gratuitos nas mais variadas mídias (veículos online, jornais, revistas, rádios e TVs). Esse tipo de comunicação ajuda startups a atraírem investidores e interessados em contribuir com seu negócio.

Fatalmente esse tipo de divulgação institucional ajuda a construir e a consolidar sua marca, o que fortalecerá seus vínculos com clientes, parceiros e outros envolvidos com os objetivos de sua startup. Mas saiba que o relacionamento com formadores de opinião via a assessoria de imprensa é um trabalho de contato humano, com interesse em informações, e que deve ser constante e duradouro.

Não tem verba para isso? Negocie! Há empresas de comunicação que conseguem flexibilizar a remuneração apostando no seu projeto, sem que tenha que colocar a mão no bolso de imediato. Claro que ninguém trabalha de graça, por isso, uma alternativa é conversar – veja o que é viável e tome alguns cuidados com o tipo de acordo que fará para ter um profissional de Comunicação trabalhando para sua startup.


REDES SOCIAIS: SEU PÚBLICO ESTÁ LÁ?

Com a febre das mídias sociais é comum ouvir de startupeiros que é “fundamental estar no Facebook”. Nem sempre! A primeira dica é recordar-se para quem fornece seus produtos ou serviços. Isso porque nem todos os tipos de negócios geram uma comunicação eficiente e rentável para alguns perfis de empresa. Dar um “curtir” não significa, necessariamente, que você atraiu clientes, parceiros ou investidores.

A pergunta que você deve fazer: atendo o consumidor final? Se sim, ótimo. Mantenha ativo esse canal e invista nele. Se não, pode ser que seja melhor para a sua empresa que você concentre seus esforços nos outros canais, citados acima. Lembre-se que comunicar não é o que você diz, mas o que falam (e como falam) sobre você.

Espero que as dicas iniciais possam ajudá-lo a pensar seu plano de Comunicação de maneira inteligente. Comunicar é importante e abre espaços para relacionamentos que tragam consigo benefícios para quem está empreendendo no mundo das startups.


Boa análise!

Via: C-SE

thiago ermano - artigo(*) Jornalista e assessor de comunicação da Anunciattho Comunicação. Profissional experiente, com passagens pela Rede Globo, Rede Record e Record News, Band, Cultura, Folha de S.Paulo e Editora Abril. Em Comunicação Corporativa foi responsável pela Assessoria de Imprensa da Fundação Getulio Vargas de São Paulo (FGV-SP), e de diversas outras empresas de Negócios e Tecnologia da Informação.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.