Meio Ambiente


Agência Focaia
Reportagem
Barbara Argôlo

Foto: Barbara Argôlo

Em reunião na Secretaria Municipal de Meio Ambiente, que ocorreu na última quarta-feira (28), com docentes e governo municipal de Barra do Garças (MT) trataram de assuntos relacionados à projetos sobre meio ambiente, dentre eles, os novos ecopontos de coleta seletiva de lixo nas escolas Gaspar Dutra, Cristino Cortes e IFMT. Na discussão também o melhoramento do design de pontos de coletas de lixo já existentes, que estão exigindo chamar mais atenção da comunidade para o seu uso efetivo. Na Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Araguaia (UFMT/CUA) está implantada lixeira ecológica desde o dia 6 de junho.

Presentes à reunião com o secretário municipal de urbanização, paisagismo e de meio ambiente, Lúcio Violin, professores da UFMT/CUA , representantes do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), unidade de Barra do Garças, Escolas Estaduais Marechal Eurico Gaspar Dutra e Antônio Cristino Cortes.

A UFMT/CUA foi representada pelos professores dos cursos de Matemática e Farmácia, respectivamente, Daniel Guimarães e Wilsione José Carneiro. Os docentes apresentaram projetos ligados à preservação ambiental, todos envolvendo, de alguma maneira, a interação entre poder municipal e campo universitário.

Na conversa, uma das reivindicações de Carneiro foi a implementação da Farmácia Solidária, na cidade. Como avalia o professor, o projeto visa a conscientização e promoção à saúde da comunidade com doação de medicamentos, a fim de beneficiar as pessoas carentes do município. Um dos pontos de discussão foi a atenção como a data de validade dos medicamentos à disposição do público, com descarte cotidiano daqueles que estiverem fora da data de uso.

O secretário municipal avaliou que a preocupação seria o descarte indevido de medicamentos por parte das farmácias locais, buscando a redução de custos, com a necessidade de separar medicamentos fora da data, o que geraria grande volume de produto inadequados. Conforme Violin, este ponto “deve ser alinhado com cautela”, com os as empresas, no sentido de não se tornar uma operação de alto custo, com grande aumento de produtos descartáveis no Campus Universitário do Araguaia, relacionado ao projeto Farmácia Solidária. 

O professor Jackson Resende, da UFMT Araguaia, apresentou o projeto acerca dos Resíduos na Construção Civil, numa abordagem em relação ao descarte seletivo e reaproveitamento destes materiais posteriormente. Ele frisou que o projeto encontra-se em fase documental, na construção de ideias, ainda não finalizado. Como analisa o docente haverá a necessidade de agendamento de uma segunda reunião para detalhamento deste projeto.

Outra proposta sobre a preservação do meio ambiente do município, apresentada na reunião, foi a da professora Ana Paula Sacco e o farmacêutico Thiago Eit, referente à realização de compostagem do lixo orgânico produzido na cidade. Como observam, o projeto não está totalmente desenvolvido e necessita de estudos para sua conclusão. O trabalho possui foco no descarte de carcaças de animais abatidos e apreendidos, que hoje não têm a destinação correta

Um projeto apresentado ao secretário de meio ambiente em outra ocasião vem ganhando destaque na UFMT/CUA, trata-se do projeto “A Sensibilização Ambiental na UFMT Araguaia”, desenvolvido pelo professor Daniel Guimarães, o qual busca a conscientização dos docentes e discentes quanto a preservação ambiental dentro e fora do campus. De acordo com o professor “uma universidade pública e de qualidade, tem a obrigação de repensar e propor novas ideias para a redução e o reaproveitamento dos lixos recicláveis”.

Em torno do projeto estão sendo realizadas diversas atividades, dentre elas o incentivo a utilização da caneca no Restaurante Universitário, a instalação de ecopontos na UFMT/CUA, a criação de um mapa com todos os ecopontos da região, a abordagem na academia e nas ruas das cidades para tratar do tema com a população. Além de ensinar como separar e descartar o lixo nos ecopontos e a necessidade de abordagem dos consumidores do município para análise de quanto de sacolas plásticas são utilizadas nos supermercados. Posteriormente informar as pessoas da importância da utilização da ecobags (as chamadas sacolas ecológicas).

Em resposta aos vários projetos apresentados, Lúcio Violin adiantou ao final da reunião que existe toda uma burocracia para levantamento de verba para implantação das propostas. O secretário municipal se prontificou a analisar cada uma com mais profundidade, demonstrando disposição para auxiliar os docentes no que for necessário para a implementação dos projetos ambientais.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.