INTERMÍDIAS, EVENTO ENCERRADO COM DEBATES

Karin Sampaio


Aconteceu nesta sexta-feira(8), na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), o último dia do Simpósio de Jornalismo Intermídias, organizado pelo Centro Acadêmico de Jornalismo, em parceria com os professores do curso, do Campus Universitário do Araguaia (CUA), unidade 2, da cidade de Barra do Garças. O evento ocorre na semana de comemoração ao dia do jornalista, 7 de abril.

A professora UFMT/CUA, Patrícia Kolling, coordenando o cerimonial, deu início a abertura das atividades, ao anunciar a apresentação do grupo de teatro “Fazendo Arte”.  A peça que foi ao palco buscou dar atenção a abordagem do cotidiano de uma família tradicional brasileira. Com o título “Já instalou a cortina?”, os atores participantes do projeto de extensão do professor Adam Luiz Claudino de Brito, do curso de Direito, destacaram a conturbada vida dos brasileiros no cotidiano, na educação dos filhos e falta de recursos financeiros, sempre buscando tirar gargalhas do público, em tom de ironia, explorando os esteriótipos.

Logo após, conforme programação do Intermídias, iniciou-se atividades de debate, em uma mesa redonda, mediada pelo professor do curso UFMT/CUA, Antonio Silva, com o tema “Café com Prosa – os possíveis caminhos para o jornalista no Araguaia”.

Foto Karin Sampaio, estudante Jornalismo UFMT/CUA
Mesa redonda no Intermídias, formada pelos jornalistas: Sckarleth Martins, Konrad Felipe, Antonio Silva (mediador) e Ivan de Jesus

Na composição da mesa, os jornalistas egressos do curso de jornalismo da UFMT/CUA e profissionais da imprensa local, Ivan de Jesus, radialista da Rádio Centro-América; Sckarleth Martins, mestranda em comunicação pela UFG/GO; e, Konrad Henke, assessor de imprensa da Câmara de Municipal de Barra do Garças.

Entre os pontos altos da discussão, as dificuldades de se fazer jornalismo na região do Araguaia, quando o jornalista está muito próximo das lideranças políticas, de modo que “é comum o profissional de imprensa encontrar-se com alguém que faz parte de nossas notícias, no comércio local, quase que diariamente”, avaliou Ivan de Jesus. Conforme analisou, em determinados momentos causando constrangimentos e, em outros, dialogando sobre as publicações. 

Para Konrad, no que diz à assessoria, o profissional do jornalismo se depara com acirradas disputas políticas, muitas vezes sendo obrigado a tomar um lado. Para o assessor da Assembleia Legislativa municipal de Barra do Garças, o curso de Jornalismo deverá, ao longo do tempo, promover alterações nas atividades jornalísticas na região, com o aumento do número de estudantes formados, que passarão a integrar as redações regionais.

Para a pesquisadora Skarleth Martins, que desenvolve pesquisa com os indígenas na região, argumentou sobre a importância da pesquisa universitária para aprimorar o conhecimento dos jornalistas. Um trabalho indispensável para quem deseja aprofundar seus análises sobre a sociedade e comunicação. No que diz respeito à mídia local, a pesquisadora lembrou da necessidade de aproximação entre universidade e profissionais do jornalismo local e regional, de modo a pensar a comunicação jornalística.

Narrativas e educação nas oficinas

No último dia do evento Intermídias também foram realizadas oficinas, entre elas, a promovida pela pesquisadora Mirna Tonus (foto), professora da UFU/MG, que se baseou em trabalhos de orientandos como base para o tema: “A construção de narrativas jornalísticas transmidiáticas”. 

Tonus disse que sua abordagem seria a do o engajamento profissional, cuja expectativa, por se tratar de um assunto importante, resultaria em muitos frutos para os participantes.

Em outra oficina, a Jornalista Yrla Braga discutiu sobre educação e a comunicação na produção de conteúdos. “O objetivo dessa oficina seria mostrar um pouco deste campo relativamente novo que é a educomunicação, e como a presença dela dentro da escola pode desenvolver socialmente e cognitivamente o educando”, avaliou.

Resultados positivos

No final, para os organizadores do Intermídias UFMT/CUA, as atividades foram avaliadas como proveitosas, com ampla participação dos estudantes de Jornalismo. A presidente do Centro Acadêmico, Alanna Fernandes, disse que “as atividades superaram as expectativas e serviram para encorajar o curso, no que se refere à produção de eventos internos”. E finalizou, “o curso não realizava eventos como este desde 2013. Deste modo, a iniciativas assim, além de trazer outras fontes de conhecimento, contribuem para aumentar a autoestima dos acadêmicos”.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.