FocAia acompanha apuração no Centro de Divulgação das Eleições do TSE

Os jornalistas das TVs contam com ambiente exclusivo para realizar a "passagem", momento que o repórter aparece na matéria.

Em dia de eleições, os colegas jornalistas, além de exercer seu direito (dever) cívico de votar, têm trabalho dobrado para acompanhar e divulgar o desenrolar e o resultado das eleições. É dia de acompanhar a movimentação de 142 milhões de eleitores que vão às urnas no Brasil e em 89 outros países neste domingo. Alguns, porém, fazem a cobertura com todo o conforto diretamente do Centro de Divulgação das Eleições 2014 (CDE), na sede do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília.
Na verdade, qualquer jornalista pode ter esse privilégio. Basta preencher, com antecedência de 20 dias, dois formulários: “Credenciamento de Imprensa para Eleições 2014” e “Solicitação de Espaço Físico no Centro de Divulgação das Eleições 2014”.  Depois do encerramento das inscrições, é realizado sorteio da disposição dos lugares onde os jornalistas ficam no CDE e a distribuição das cabines de rádio.
O CDE no primeiro turno funciona  no 3° andar do edifício-sede do TSE, com espaço para redação, cabines de rádio, local para entrevistas individuais e estúdio para entrevista exclusiva. A área destinada aos jornalistas e redatores conta com 72 lugares sentados, todos com computadores desktop e ponto de rede, além de lugares para os profissionais utilizarem seus notebooks via wi-fi.

Os jornalistas que cobrem as eleições a partir do CDE contam com infra-estrutura que permite que a redação das matérias sejam feitas no próprio local.

Para se ter uma ideia de como os órgãos governamentais dão importância ao relacionamento com a mídia, no espaço também funciona o posto de atendimento da Assessoria de Imprensa e Comunicação Social (ASICS) do TSE, que  auxilia os jornalistas com informações relativas ao pleito e, ao longo dos dias de votação, com boletins atualizados sobre o andamento das ações da Justiça Eleitoral. Além disso, são disponibilizados monitores de LCD por todo CDE que, em tempo real, exibem a totalização dos votos no primeiro e segundo turnos das eleições, dias 5 e 26 de outubro respectivamente.

Estrutura de rádio
Os jornalistas de rádio têm acesso a uma estrutura com 12 cabines de locução, todas preparadas com isolamento acústico, climatizadas, com telefone fixo, energia, computador desktop e rede de internet sem fio.


As cabines de rádio do CDE permitem que os radiojornalistas transmitam ao vivo as informações durante a apuração das eleições.

Espaço para entrevistas
O CDE 2014 tem um backdrop de 16,2 metros X 2,5 m para a realização de entrevistas individuais de ministros do Tribunal e secretários de várias áreas de atuação da Corte, ou para entradas ao vivo.
No caso das transmissões ao vivo das entrevistas, as emissoras devem trazer carro de link e aproximadamente 150 metros de cabo (distância entre o espaço de entrevistas e o estacionamento de caminhões link) ou solicitar ao TSE a instalação de antena no terraço do edifício-sede, com estrutura e cabeamento da própria emissora.

Estúdio de gravação
Para as entrevistas de televisão gravadas, o TSE  oferece ambiente reservado com tapete e poltronas, com um backdropde seis metros por cinco ao fundo. Para utilizar esse espaço, as emissoras deverão agendar com certa antecedência. A ordem cronológica dos pedidos será respeitada. A duração da reserva é  de 30 minutos e não pode ser contínua.

Entrevistas coletivas
As entrevistas coletivas acontecem no no Auditório 1, localizado no 1° subsolo do edifício-sede. Os horários das entrevistas com os ministros e secretários da Corte Eleitoral são informados pela equipe de Assessoria de Imprensa do TSE.
Os sinais de áudio e de vídeo das entrevistas coletivas são disponibilizados por meio de saídas AV localizadas no primeiro pilar do edifício-sede. A ASICS/TSE autoriza a entrada de cinegrafistas e fotógrafos no Auditório 1 para a captação de imagens e sonora das coletivas.

Estacionamento
Os jornalistas que cobrem as eleições no CDE 2014 devem utilizar os estacionamentos públicos próximos ao edifício-sede do TSE, localizados entre a Corte e o Tribunal Superior Eleitoral (TST), e o outro, entre o TSE e a embaixada do Reino Unido.
Os caminhões de link podem estacionar junto ao primeiro pilar do edifício-sede, onde se encontram as saídas AV do Auditório 1, ou em espaço destinado aos caminhões link, próximo da extremidade sul do do TSE. 

Fotos e texto: Alfredo Costa, com informações do TSE

Comentários