A estudante do curso de Comunicação Social, habilitação em Jornalismo, da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Stéfanie Medeiros, apresenta nesta segunda-feira (24), às 11h, no Instituto de Linguagens (IL) da UFMT, o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) “Os outros - o livro-reportagem como plataforma para a construção do perfil de Manoel de Barros”. O projeto experimental, orientado pelo professor Ailton Segura, além do referencial teórico típico de monografias, inclui entrevistas feitas com familiares do poeta cuiabano radicado em Campo Grande (MS) e dois capítulos do livro de Medeiros.

Para realizar a apuração jornalística, Stéfanie passou 10 dias no Rio de Janeiro, onde a filha do poeta, Martha Barros reside, e depois mais duas semanas em Campo Grande (MS), cidade onde grande parte da família Barros, incluindo o próprio Manoel, mora. A estudante conversou com Martha Barros e fez várias entrevistas com o irmão do poeta, Abílio Leite de Barros, e o amigo do mesmo, o jornalista Pedro Spíndola.

Spíndola, um dos amigos mais íntimos de Manoel, possui um grande acervo com cartas, manuscritos, recortes de jornais, revistas, documentos e fotografias do poeta, que emprestou a Stéfanie de forma que a jornalista complementasse seu trabalho. “Este acervo particular agrega raridades de interesse público e é muito rico, possuindo um grande número de materiais. A organização deste acervo demanda tempo, paciência e conhecimento do conteúdo de todos os recortes e manuscritos. Além disto, tudo está em processo de escaneamento, já que o material deverá ser devolvido a Pedro Spíndola no primeiro semestre de 2014”, escreveu Medeiros em seu trabalho.


O trabalho inclui dois capítulos do livro-reportagem, ainda em fase de produção. De acordo com Medeiros, o livro, além de detalhes da vida de Manoel, narra vários fatos da vida de Manoel ainda não revelados pela imprensa. Também será relatado o processo de apuração, detalhando as viagens e conversas com familiares e amigos do poeta.


Sobre a escolha do título “Os outros”, Stéfanie recorre ao poema “A maior riqueza do homem”, do livro “O retrato do artista quando coisa”, do próprio Manoel, publicado em 1998. Ela ainda justifica a decisão dizendo que o livro que está produzindo mostra o poeta pela perspectiva dos que o conheceram.


“Para conhecer Manoel de Barros, é preciso olhar com os olhos de ‘outros’: familiares, colegas, conhecidos, admiradores. O poeta não é mais acessível como pessoa por si mesmo, mas ainda continua temporariamente acessível através dos que o conheceram. Assim como Gay Talese fez o perfil do cantor Frank Sinatra sem entrevistá-lo, também este livro está sendo redigido com retalhos que Manoel deixou em cada um que o conheceu”, explica Medeiros.


ufmt.br

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.