A união de informação e entretenimento é um dos caminhos mais usados para popularizar ainda mais programas de TV. A aposta de emissoras é investir em figuras carismáticas e com credibilidade para as atrações mais descontraídas. Fátima Bernardes e Pedro Bial são alguns exemplos que deixaram o jornalismo diário para ficar à frente de atrações de variedades. Tiago Leifert, do ‘Globo Esporte’, foi o apresentador das duas edições do ‘The Voice Brasil’, na Globo.
Porém, engana-se quem acredita que a estratégia de canais televisivos em dar espaço para jornalistas irem além das redações fica restrita à função de apresentadores. Atualmente, produções voltadas ao entretenimento investem em reportagens. E, em alguns casos, o escolhido para comandar os quadros dessas atrações são profissionais com experiência na cobertura do chamado hard news. É o que acontece com Humberto Ascêncio (‘O Melhor do Brasil’, Record), Thiago Rocha (‘Morning Show’, Rede TV) e Guga Noblat (‘CQC’, Band).
Leia a íntegra no C-SE (Dica de Muryllo Simon).
Acompanhe também a discussão sobre o assunto na Academia:

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.