FICA: Professores e estudantes são detidos

O Popular

FOTO_H_2-BTHD8_WEB
Imagem: Zuhair Mohamad. Manifestantes e policiais durante protestos na Cidade de Goiás
A confusão entre a Polícia Militar e manifestantes na noite de abertura do 15º Fica, na terça-feira, foi o grande assunto do dia ontem na Cidade de Goiás, no segundo dia do festival. Onze manifestantes foram conduzidos pelo efetivo do 6º Batalhão da PolÍcia Militar à delegacia da cidade, mas dois deles foram imediatamente soltos por serem adolescentes. O delegado Fábio Meireles Vieira recebeu o grupo às 23 horas e todos foram liberados após passar por exame de corpo delito, entre eles dois policiais militares, processo que se só se encerrou às três da madrugada.

Já estava prevista uma manifestação na cidade na terça-feira e o local marcado para a concentração foi a área em frente ao Palácio Conde dos Arcos, onde era prevista a realização da solenidade de abertura oficial do festival, com presença de várias autoridades, entre elas o governador do Estado, Marconi Perillo. A frente e as laterais do prédio foram cercados por homens do 6º BPM, sediado em Goiás, que contou com reforços de Goiânia, inclusive com a tropa de choque.

O comandante Luís Antônio da Silva Rocha disse que a manifestação, que começou por volta das 20h de terça-feira, começou pacífica e assim permaneceu até às 22h. “Foi quando alguns manifestantes passaram a nos jogar pedras, garrafas de água e latinhas e até o caixão simbólico que eles carregavam. A polícia teve de reagir para sua defesa legítima”, disse o comandante.

Segundo o delegado, os nove manifestantes já prestaram depoimento e hoje devem ser ouvidos mais membros da corporação militar. “Também estamos à procura de material de filmagem, fotografia e áudio para agregar ao inquérito e averiguar se houve abuso por parte da polícia ou dos manifestantes”, informou Fábio Meireles. O delegado só disse que todos os manifestantes eram estudantes ou professores em universidades na cidade de Goiás e Catalão. “Em três anos como delegado aqui já vi outras manifestações mas nenhuma delas chegou até nós como essa”, comentou o delegado.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.