Autor fala sobre a obra e sua proximidade com Machado de Assis. 

Na noite desta sexta feira, dia 21, na cidade de Barra do Garças (MT), o professor José Nogueira de Moraes lançou seu livro  "Alquimia dos nomes. Uma essência da poética Machadiana". Moraes foi o professor de Língua Portuguesa do curso de Letras da Universidade Federal do Mato Grosso.

A cerimônia contou com buffet, apresentações musicais, homenagens e discursos sobre a vida e obra do escritor. O evento ainda contou com a apresentação do coral da Câmara dos Dirigentes Lojistas, com vinte e cinco integrantes e repertório que inclui música sacra, MPB, regional e internacional.

O livro é um estudo da construção dos nomes de quatro personagens de livros do consagrado Machado de Assis, com uma crítica voltada para o uso da onomatologia e da numerologia como elementos que comandam a personalidade da personagem. O material vem sendo produzido há 25 anos, com início no projeto de mestrado do autor, na Universidade Federal de Goiás.

Questionado sobre a motivação de escrever, o escritor diz que sua intenção é mostrar a todos a engenharia que Machado de Assis utilizou para construir, escondendo por trás dos nomes, a personalidade das seguintes personagens: 
  • Ressurreição (1872) Cecília, que tem o significado etimológico do nome de ceguinha;
  • A Mão e a Luva (1874) Guiomar, que significa esplendor, luz refletida;
  • Helena (1876), o nome da protagonista, significa Lua. Lua é luz fásica que se esconde e aparece periodicamente;
  • Stella (1862), significa estrela, luz permanente. A obra dedica-se a fazer a construção de uma única personagem dividida em quatro atos, que parte da cegueira a uma luz permanente.

'Machado de Assis tem um fascínio por dissecar a alma humana
que me apaixonou', prof. José Nogueira de Moraes. 
O autor

José Nogueira de Moraes é professor aposentado e viu a Universidade Federal nascer e se instalar na cidade de Barra do Garças. Atualmente é presidente do Conselho Municipal de Educação da cidade e afirma que eventos desse seguimento são importantes para o desenvolvimento da cultura local. "Se cada um de nós desse sua contribuição, a cultura e a leitura estariam mais desenvolvidas na cidade", disse. Ele ainda citou, como exemplo dessa contribuição, o lançamento do livro infantil do projeto de extensão Abracadabra, da UFMT, na última terça, dia 18.


1 comentários:

José Delfino Duarte disse...

Li o livro e gostei.
Parabens Professor Jose Nogueira

Postar um comentário

Comente esta postagem.