A página da Agência de Jornalismo Focaia está com novo visual, mais dinâmico e moderno

Acadêmico 
Agência Focaia
Redação
Barbara Argôlo

Foto: Barbara Argôlo
O site da agência de jornalismo Focaia está com um novo visual. O layout da página foi desenvolvido com a proposta de ser mais clean e moderno, para melhor visualização e leitura agradável das notícias.

O responsável pelo trabalho de produção é o servidor técnico e designer gráfico, Neemias Souza, recém chegado à universidade, através de concurso público, designado para o curso de Jornalismo.

A estudante de jornalismo da UFMT/CUA e leitora do blog, Layra Santana (foto), avalia que a nova aparência do blog auxilia na leitura além de organizar a plataforma. “A forma que as matérias estão organizadas ficou ótima, melhorou a leitura”, avalia.

A Agência de Jornalismo Focaia surgiu em agosto de 2009, como projeto de atividade para os estudantes de Jornalismo da UFMT/CUA, como forma de obter experiência na produção de notícias, coordenado pelo professor de Web jornalismo Alfredo José Lopes Costa. De lá para cá manteve-se o Layout, desenvolvido originalmente por Atila Cezar, na época um dos membros do projeto de extensão da faculdade de Jornalismo.

Atualmente o projeto é coordenado pelo professor Antonio S. Silva, com participação de grupo de estudantes de jornalismo, formado por Adailson Pereira, Barbara Argôlo, Vasco Aguiar, Trycia dos Santos e Leticia Oliveira. Por se tratar de atividade que faz parte das atividades de formação acadêmica, muitos estudantes passaram pelo projeto ao longo destes anos, que tiveram grande importância para o seu desenvolvimento, com afirma Silva.

"Cada um deu sua contribuição para se chegar a audiência que a página tem hoje, além disso, os estudantes que por aqui passaram tiveram também a oportunidade de produzir matérias noticiosas que, certamente, contribuíram para sua formação na universidade. Não devemos esquecer também da importância do Fociaia para a publicação de matérias, ao longo de mais de uma década, para informação da coletividade, com um público de leitores dentro e fora da universidade".

Neste período a página do Focaia superou a marca de mais de 1 milhão de acessos, levando informações à comunidade regional e nacional, com atenção à educação, pesquisa e extensão, além de temas ligados à política educacional.

"Foca" nas redações dos jornais quer dizer estudante de jornalismo ou jornalista em início de carreira. "Araguaia" numa referência ao Campus Universitário do Araguaia, também numa referência à comunidade do Vale do Araguaia.

De acordo com Souza o processo criativo não foi simples e foi preciso um tempo de pesquisa, antes da decisão final sobre o novo layout.

“Buscamos referências nos portais de notícias e percebemos que um design clean, traria destaque e mais leiturabilidade às matérias. A partir daí desenvolvemos a identidade visual da página e selecionamos um template, dentre os disponibilizados pela plataforma do Blogspot, que mais se adequasse a nossa proposta”, ressaltou.

A Agência produz reportagens que abrangem desde eventos acadêmicos até coberturas jornalísticas, seguindo a temática educação. Por se tratar de um projeto acadêmico, graduandos do curso de Jornalismo UFMT/CUA organizam pautas, fotografam, entrevistam e redigem matérias e reportagem, buscando a acrescentar às informações dos veículos de comunicação locais e regionais.

A produção de notícias Focaia não segue a linha das empresas comerciais, vinculadas ao mercado publicitário. A Agência de Jornalismo mantém atenção aos preceitos do jornalismo, valorizando a isenção e liberdade de expressão nas suas coberturas, vinculando ao espaço acadêmico que envolve teorias e práticas.

"Portanto, este é um trabalho que envolve estudantes, mas também as atividades de outros professores, que se dedicam a formação dos estudantes de jornalismo da UFMT/CUA, que trazem este conhecimentos para o projeto", ressalta o professor coordenador do projeto Focaia.

Para Vasco Aguiar, estudante do curso de jornalismo da UFMT/CUA e repórter do Focaia, há pouco mais de dois anos, “participar de um projeto de extensão dentro da universidade é primordial, pois colocamos em prática aquilo que aprendemos em sala de aula”.

Além do conhecimento prático, Aguiar destacou sobre a possibilidade de estar melhor preparado para o mercado de trabalho “Aprendi aqui a lidar com a rotina de uma redação. Acredito que, com os ensinamentos que obtive, estou mais preparado para os desafios que podem surgir no mercado de trabalho”, ressalta.

Comentários