por Muryllo Simon *

Ao final da graduação deparei com a “temida” tarefa de desenvolver um trabalho de conclusão do curso. Isso mesmo! Aquele que, se você não concluir, não recebe seu diploma de Jornalista. Quem já passou por isso sabe do que estou falando. Mas, veja bem, longe de ser um volume a mais na prateleira, ele pode ser a porta de entrada para o mercado de trabalho e decisivo na concorrência por um curso de pós-graduação.

Com a mão na massa, determinado a realizar um bom trabalho e com muito prazer e satisfação, elaborei um projeto experimental para desenvolver um plano de comunicação integrada para a Prefeitura da minha cidade - Araguaiana (MT) -, cujas ações tinham o intuito de criar relações eficazes com a população da Cidade e melhorar a imagem da Instituição. Uma parceria que deu frutos, tanto em relação à nota final, quanto na trajetória profissional, pois constituiu instrumento decisivo para a conquista da minha primeira oportunidade de trabalho.

O projeto, realizado com uma metodologia ampla, muita leitura, com as teorias e técnicas aprendidas ao decorrer da graduação, além é, claro, da competente orientação do professor Alfredo Costa, aguçou o interesse do Gestor Municipal. Desse modo, ele me chamou ao seu gabinete para um diálogo que previa a possibilidade de inserir a função da Assessoria de Comunicação no âmbito do orgão. Dito e feito.

Convite aceito, ingressei em nova fase de vida. Há seis meses atuando na função, confesso que valeu a pena todo o esforço na reta final. O projeto tem sido a base para a execução das atividades. Já que não tivemos oportunidade de realizar um estágio, serviu para suprir a lacuna. Nenhum projeto é perfeito, creio eu, e é óbvio que muitas coisas podem ser mudadas, aprimoradas, tudo gira em torno da realidade do momento. Só não se pode perder o “fio da meada”, como dizem por aí. E buscar se aperfeiçoar sempre.

Algumas dificuldades surgiram, elas fazem parte do processo de consolidação do trabalho, por exemplo, a falta de entendimento da atividade por parte de algumas pastas, mas, que tive o dever de explicar. O Órgão ainda tem uma cultura resistente, porém, aqui entra um dos objetivos: tento sensibilizar os demais gestores no dia a dia e me posiciono profissionalmente dentro da Prefeitura. Assim, as coisas vão se encaixando e a área vem conquistando reconhecimento.

A experiência tem sido inovadora, instigante e não deixa de ser um desafio para quem começou do zero dentro de uma organização pública. Uma experiência que hoje elenco no meu currículo profissional, que proporciona crescente maturidade e mais segurança. O olhar da teoria se aliou à prática. Hoje, a instituição atua de maneira mais eficaz em relação ao fluxo informativo e ao mesmo tempo se enquadra nas normas estabelecidas para os órgãos municipais: transparência, prestação de contas,  divulgação dos serviços e ações prestadas pelo Município.

* Ex-Foca do Araguaia, Muryllo Simon graduou-se em Jornalismo na Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Araguaia, em março deste ano, e hoje é assessor de comunicação da Prefeitura de Araguaiana (MT). Seu trabalho de Conclusão de Curso, intitulado Plano de comunicação integrada para a Prefeitura de Araguaiana (MT): Um caso de parceria social entre Universidade e Governo Municipal foi apresentado , em co-autoria com Larissa Ferreira, no GT4 - Comunicação, cultura e imaginário das organizações do VI Seminário de Mídia e Cultura (SEMIC), realizado na Faculdade de Informação e Comunicação da Universidade Federal de Goiás, no mês passado. 

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.