Nina Weingrill. Diretora e co-fundadora da Énois.Amanda Rahra. Diretora e co-fundadora da Énois.
Tornar a comunicação uma ferramenta para que jovens possam ler e produzir conteúdo de forma crítica e dar voz às suas comunidades. Esse é o propósito que move as jornalistas Amanda Rahra e Nina Weingrill, responsáveis pela Énois – Agência Escola de Conteúdo Jovem, com sede no Centro de São Paulo.
Nascido em 2009 a partir de um trabalho de formação no Capão Redondo, um dos bairros mais violentos da periferia paulista, o projeto promove o ensino do jornalismo para jovens que estão entrando no mercado de trabalho. Depois de formar 150 estudantes em cursos presenciais, a dupla resolveu dar um passo adiante para alcançar um número maior de pessoas e criou, em outubro passado, a primeira escola livre de jornalismo do Brasil voltada ao público jovem.
"Hoje a democratização do acesso à educação, cultura e informação foi amplamente facilitada pela internet. Mas não a democratização da produção disso. Esta ainda é regalia daqueles que têm a oportunidade de frequentar uma universidade, uma boa escola. Por isso, quando a gente dá a ferramenta para o jovem, acreditamos que ajudamos a diminuir esse gap", explica Weingrill, em conversa com o Centro Knight para o Jornalismo nas Américas.
A escola vai oferecer cursos online gratuitos com videoaulas, instrutores especialistas e materiais de referência. O primeiro deles já está disponível na plataforma da Udemy: um módulo sobre a produção de videodocumentários. Dividido em quatro seções, ele apresenta alguns conceitos do jornalismo, os processos de criação de uma pauta, a busca pelas informações e a criação do roteiro.
Veja a seguir o vídeo de apresentação da Escola Livre de Conteúdo Jovem da Énois.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.