Grupo de jovens publicitários cariocas lançou, no início do mês, a campanha #BermudaSim, um manifesto pelo uso da peça no escritório

Devido ao calorão, homens criam campanha pelo uso de bermuda no ambiente de trabalho Gabriel Renner/Arte ZH
Foto: Gabriel Renner / Arte ZH
Heloísa Aruth Sturm
O verão para as mulheres, no trabalho, é sinônimo de saia, vestido, blusinha. E para os homens? Calça comprida, camisa social, terno, gravata. Dá calor só de pensar.
Por isso, um grupo de jovens publicitários cariocas lançou, no início do mês, a campanha #BermudaSim, um manifesto pelo uso da bermuda no ambiente de trabalho.
O movimento vem ganhando adeptos nas redes sociais e lançou um debate nacional sobre o que é ou não apropriado vestir, e o quanto isso pode influenciar na imagem do profissional e do local onde trabalha.
O produtor audiovisual Rafael Syd é um dos que não passa sufoco por causa da roupa em dias de calor intenso.
– Essa é a minha filosofia de trabalho. E meus funcionários também estão nessa mesma vibe. Existe ainda certo preconceito, mas deveria ser mais tranquilo, especialmente no verão. Esse é o meu terno – diz ele, confortável em sua bermuda branca, camiseta descolada e sapatênis, em Porto Alegre.
O bancário Guilherme Morassutti usa terno e gravata todos os dias e não pensaria duas vezes se pudesse adotar um traje mais informal no trabalho. Ele tem sofrido com o calor, já que faz muitas visitas a clientes e, com frequência, tem de trocar o ar-condicionado do escritório pelo ar quente das ruas.
– Se pudesse usar (bermuda), seria muito bom. Tem muito essa questão de credibilidade, de passar uma imagem, porque o cliente espera isso. Só que, às vezes, também você chega no lugar todo suado, o que é muito pior – diz.
Para a consultora de moda e personal stylist Bia Kawasaki, áreas como a  jurídica e as de mercado financeiro e imobiliário pedem mais formalidade, enquanto a bermuda pode ser usada em áreas mais informais, como marketing, comunicação e arquitetura. Mas, explica Bia, no momento do atendimento ao cliente é essencial ter cautela:
– Os funcionários são representantes visuais da empresa. Então, para que haja essa compatibilidade e o sucesso nos negócios, é muito importante que essa identidade visual seja respeitada. Quando a empresa institui um dresscode (código de vestimenta) muito casual, o maior risco é um curto-circuito na estética corporativa.
Os servidores municipais do Rio já contam com esse refresco há uma década: todo ano, a prefeitura renova o decreto que autoriza o uso de bermuda. Mas o item é permitido somente nos dias oficiais de verão, entre dezembro e março.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.