Festival Internacional


Agência Focaia
Vasco Aguiar


Foto: Mayara Jardim/FICA
Rua histórica da cidade de Goiás, no centro-oeste, onde ocorre o FICA


A cidade de Goiás (GO), na região centro-oeste, é mais uma vez sede de um dos maiores Festivais de Cinema no Brasil, explorando especificamente a discussão sobre o Meio Ambiente. Desde a última terça-feira (16) milhares de pessoas chegaram à antiga capital goiana para o Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica) para suas várias atividades. Durante a semana, com encerramento neste domingo (21), o evento oferece variadas produções cinematográficas, com  um olhar atento às causas de preservação e conservação ambientais.

A mostra competitiva conta com 22 produções, dentre elas, 12 filmes internacionais e 10 brasileiros, sendo quatro deles produções regionais goianas. Com destaque mundial entre os festivais de cinema, o Fica está em sua 18ª edição. Neste ano, como anunciado pelos organizadores, distribui R$ 280 mil em prêmios aos filmes vencedores. Considerando a especificidade do gênero Meio Ambiente, o Fica está entre aqueles que oferecem as maiores premiações pagas na América Latina. 

A programação não se restringe apenas à exibição dos filmes em competição. Nestes dias, também estão sendo realizadas diversas atividades para entreter os participantes e turistas da cidade histórica. Na programação, várias oficinas, minicursos de cinema, exposições, debates com cineastas, mostras paralelas e shows. Portanto, o público que visita a cidade goiana com intenção de participar e acompanhar o debate sobre o cinema ambiental está encontrando muita ocupação.

Na programação de hoje (20), o pianista, cantor e compositor Daniel Jobim, neto do maestro e ícone da bossa nova Tom Jobim, será uma das atrações da festa. Músico premiado com um Grammy, Jobim traz para o festival um repertório especial com músicas de seu avô e de sua autoria, que tratam da natureza. A apresentação ocorre nos jardins do Palácio Conde dos Arcos, às 18hs.

UFMT no Fica

Estudantes graduandos do curso de Jornalismo da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Campus Araguaia, marcam presença no Festival com participação nas atividades de cinema ambiental. Para o professor do curso de Comunicação da UFMT, Jorge Arlan de Oliveira, é positiva a participação dos alunos no Fica. 

O centro-oeste é uma região com grande importância ambiental, abrigando parte significativa do cerrado brasileiro, porém, com intensos empreendimentos agroindustriais, como criação de gado de corte e produção de grãos para exportação.

Como analisa Oliveira, “os acadêmicos da universidade tendem a ampliar sua visão ambiental, e isso se faz necessário, pois um tema tão atual como este deve ser debatido de diversas formas, e a cinematográfica é uma delas. Desta forma, o jornalista como mediador precisa se aprofundar nestes pontos. Acredito que o evento proporciona esta amplitude, pluralidade e diversidade de questões”.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.