por Alfredo Costa

Esta é a Nenê, que resgatei no cemitério de Barra do Garças - MT (foto: Alfredo Costa).

Tomei conhecimento dos gatos abandonados no cemitério de Barra do Garças (MT), no centro da cidade, por intermédio do documentário "Ninguém num sabe", produzido por alunos do curso de Jornalismo da a UFMT Araguaia. Esses felinos, muitas vezes abandonados por seus próprios donos, se reproduzem rapidamente e, sem controle populacional, se tornam problema de saúde pública (Alô, alô!  Prefeitura de Barra do Garças!).

Tampouco compartilho com a cultura local de criar os animais soltos, nas ruas. Além de constituírem problema de saúde pública, os gatos de rua podem ser atropelados, envolver-se em brigas com outros animais e, enfim, terem vida curta e miserável. Afinal, como animais domésticos, deveriam ser cuidados e tratados com carinho por um dono humano.

A gata na foto agora faz parte da minha híbrida família de humanos e felinos. Ela tem puro sangue vira-latas e pelagem simétrica, semelhante à de um gato do mato (Maracajá), bem Mato-grosso.

A quem se interessar em adotar gato semelhante à Nenê, informo que há dois irmãos de Nenê no referido cemitério, à espera de um dono que possa proporcionar um lar nos próximos quinze ou vinte anos de vida como gatos domésticos. Caso contrário, suas vidas serão bem mais curtas...

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.