Inocente útil

por Antonio S.  Silva

Pois, quando se fala em democracia deve-se pensar a quantidade de pessoas que a defende, caso contrário são somente palavras. Então passamos a inocente útil

A grande discussão sobre a vinda da cubana blogueira, Yoani Sánchez, ao Brasil não é simples e tem uma relação política e ideológica muito forte. Parece ser uma questão de liberdade, de democracia, direito de ir vir de qualquer país livre. Mas no fundo, a América Latina passa por mudanças substanciais na política, e qualquer símbolo que representa sua derrocada será questionado ou glorificado. Trata-se, portanto, de uma disputa que transpõe o visível.

O país cubano ao longo do século tornou-se uma nação que põe em xeque o capitalismo mundial, como única forma de governo e sistema social. O socialismo não foi inteiramente dizimado, deixando fragmentos em alguns países pelo mundo, sempre questionados, como é caso da ilha de Fidel, da China, Coréia do Norte e muitos outros.

A região da América Latina, diante de sua exploração mercantilista que atravessou séculos de exploração, tem seus motivos para acreditar em outra forma de administração pública, que não o deus mercado.

Sánches sabedora desta realidade ou não, serve aos propósitos daqueles que querem por em dúvida este sistema não-capitalista de ser. Como dizem os estudantes da Bahia, 
possivelmente há apoio financeiro das nações ricas em torno de sua viagem pelo território, onde vigora o capital. O objetivo é deixar claro o quanto o socialismo é um horror,  perigoso, infantil e desonesto.

Se por um lado se quer desqualificar um regime, quer-se vangloriar o outro como o seu contrário. Infelizmente cada qual tem os seus defeitos, os quais a sociedade, no seu conjunto democraticamente, vai apontando os seus problemas. Se há o comunismo de castração impera de outro lado o totalitarismo capitalista.

A rigor, as pessoas das nações de economia forte sofrem com a exclusão absurda e desumana para o prazer de poucos. Veja o caso brasileiro, da situação de países Europeus. Os milionários donos de jornais brasileiros tem o seu lado neste jogo infame.

Desta forma, a blogueira serve de instrumento para apregoar um modo de vida, que certamente é defendido por alguns líderes econômicos. Pois, quando se fala em democracia deve-se pensar a quantidade de pessoas que a defende, caso contrário são somente palavras. Então passamos a inocente útil.


Antonio Silva - Jornalista, mestre, doutorando e professor da UFMT.

Foto: Reuters

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.