MEC muda critérios para abrir cursos de Medicina

por Gilson Monteiro

O Ministério da Educação (MEC) finalmente mudou os critérios para a abertura de novos cursos de Medicina no País. E, certamente, a mudança proposta não será apenas para um curso. Outros, muito provavelmente, seguirão o mesmo caminho para que o mercado, e algumas regiões, não fiquem saturados do mesmo profissional, enquanto outra regiões padecem da falta deles.

 A partir de agora, cursos de Medicina só serão abertos em cidades pré-definidas por meio de editais. De acordo com a notícia divulgada em um site brasileiro, "As novas faculdades particulares de medicina terão que ser criadas, prioritariamente, em regiões onde há estrutura médica - como hospitais e atendimentos de emergência - mas não existem escolas de medicina suficientes."

É o tipo de critério que deveria nortear a abertura de todos os demais cursos no Brasil. No entanto, o que ocorre é que Faculdades, Centros Universitários e as próprias Universidades particulares não se importam com seus ex-alunos. Se vão ter boa empregabilidade ou não. Pautam-se pela lógica do lucro. Assim, cursos de baixo investimento e boas possibilidades de altas demandas são abertos em quaisquer lugares. Figuram entre eles, Direito, Administração, Pedagogia, Serviço Social. Terminam por "entupir" o mercado local de profissionais qualificados, porém, desempregados. Mais 

Leia também:

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.