Valor a ser cobrado sobre alimentação no RU segue indefinido; Reitoria e DCE's se reuniram em Cuiabá para tratar do assunto

Movimento Estudantil


Agência Focaia
Redação
Barbara Argôlo

   Foto: site Adufmat



Na manhã da última quinta-feira (29), representes dos Diretórios Centrais dos Estudantes (DCE) de Cuiabá, Sinop, Rondonópolis e Barra do Garças  participaram da reunião com a Pró-reitoria de Assistência Estudantil (PRAE) para tratar sobre a alteração da política de alimentação do Restaurante Universitário (RU).

Segundo a Associação dos Docentes da Universidade Federal de Mato Grosso (ADUFMAT) em matéria publicada no seu site, a administração vai aguardar uma contraproposta. Os estudantes sustentam que não querem aumento algum. 

A representante dos estudantes da UFMT/CUA, Rayani Camargo, afirma na matéria que “Nós reivindicamos o diálogo, mas vamos resistir para não aumentar (o preço cobrado dos estudantes nas refeições). Uma pesquisa socioeconômica que nós realizamos demonstrou que os estudantes não vão conseguir se manter na universidade pagando o RU, mesmo com renda superior a estabelecida por eles”, diz a presidente do DCE.

De acordo com a ADUFMAT, a estudante informou que a administração chegou a ventilar uma outra proposta, que dividiria os usuários do restaurante em três grupos: o primeiro com gratuidade integral, o segundo parcial, e o terceiro pagaria o valor cheio. 

 O acordado na reunião foi que hoje, a administração deverá enviar a todos os DCE’s seus dados e propostas, e, em cerca de 20 dias, o Movimento Estudantil apresentará sua posição ou contraproposta.

A agência Focaia entrou em contato com os representantes dos DCE’s de Cuiabá e Barra do Garças, mas não obteve mais informações sobre a reunião.

*Com informações ADUFMAT/ Luana Soutos

Comentários