Greve dos professores da Unemat completa 38 dias



Greve na educação


http://cf-static.test.sonoticias.com.br/M_4kw183wlthked2cqupm7ddptes236jn4dkrtdartoay7y8ow.jpgProfessores da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) realizam na manhã desta quinta-feira (7), assembleia para definir se darão continuidade ou não à paralisação que entra no 38º dia. 

De acordo com a Associação dos Docentes da Unemat (Adunemat), além da manutenção da greve, pontos como a extinção da Fundo de Amparo à Pesquisa de Mato Grosso (Fapemat) e Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia (Secitec), responsável pela administração da instituição, também estarão na pauta de discussão.

Presidente da Adunemat, Luiz Jorge Brasilino da Silva, disse que durante todos os dias de paralisação os servidores da Unemat têm realizado ações de protesto e reivindicação. “As mobilizações estão acontecendo em todas as unidades nos 13 campi da instituição.

Os profissionais se reúnem desde o início da manhã e realizam carreatas ou caminhadas pelo centro das cidades. Estamos centrados na luta que deverá ter seus parâmetros reestabelecidos nesta assembleia”.

Questionado se a categoria já apresenta uma tendência prévia quanto a possível suspensão do movimento grevista, Silva diz que tudo pode acontecer e existe condições de se esboçar qualquer decisão antes da assembleia com os servidores. 

“A aprovação da lei da Revisão Geral Anual (RGA) pelos deputados estaduais foi como uma punhalada nas costas do servidor e nos colocou contra a parede”.

O professor também pontua a preocupação com a extinção da Secitec e Fapemat, motivos que também podem colaborar para a manutenção da greve. “Caso isso se confirme, poderá acarretar consideráveis mudanças nas atividades institucionais das universidades particulares e públicas”

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.