Autor: Eduardo Meditsch

ISBN: 978-85-7474-633-3
Páginas: 264
Peso: 340g
Ano: 2012

“O Jornalismo é um meio de conhecimento social, pela divulgação da informação atempada da atualidade, através da descrição da singularidade dos acontecimentos que a constituem e a sua exposição ao público em tempo hábil para sua utilização. E informação é poder, pois não se pode exercer a cidadania de maneira eficaz sem informação confiável para embasar nossa intervenção social, política e econômica. Numa sociedade que se move em crescente velocidade, a disponibilização pública e permanente deste tipo de informação atualizada é estratégica para a atuação de todos os setores sociais e também para a emancipação dos setores oprimidos. Infelizmente, os movimentos sociais ainda têm demonstrado dificuldade em compreender o papel do Jornalismo na vida democrática, optando quase sempre por sua substituição pela mera propaganda e pela tentação de controlar a divulgação da opinião dos adversários, herança de décadas de dogmatismo autoritário. O resultado dessa compreensão deformada, ainda que pretensamente crítica do Jornalismo, é a ausência de experiências alternativas de bom Jornalismo em nossa sociedade, o que seria perfeitamente factível nas atuais circunstâncias tecnológicas e históricas. 

A forma como o Jornalismo tem sido estudado na Universidade tem responsabilidade nisso, na medida em que a pedagogia e a pesquisa se limitam a criticar a mídia existente sem conseguir sequer diferenciar o bom do mau Jornalismo. Como Paulo Freire propunha para na área da Educação, o primeiro passo para transformar o mundo é saber que é possível fazê-lo, e por isso não basta a denúncia do velho, é preciso anunciar o novo. E nunca o novo esteve tanto ao nosso alcance, pelo menos no Jornalismo. Até agora, nossa área acadêmica se preocupou em compreender e criticar o atual estado de coisas, sem notar que chegou a hora de transformá-lo. Para uma ciência aplicada como a nossa, é o momento de estar em evidência e de dizer a que veio, cumprindo plenamente a sua função social não apenas em relação às necessidades das empresas, mas também do setor público, do terceiro setor e dos movimentos sociais, ou seja, da Sociedade como um todo. Afinal, um outro Jornalismo é possível como nunca foi antes.”

“Desde uma perspectiva autoral, autor da própria história, o professor Meditsch oferece-nos, em suas memórias, um desenho histórico dos diversos cenários, contextos, escolas de pensamento, pensadores e pensadoras com os quais intercambiou neste trajeto de décadas. 

Advirta-se, por fim, que o livro é mais que um relato. É um relato que parte de dimensões descritivas, depoimentos de experiência e alcança reflexões e ponderações que apontam e suscitam salutares interrogações quanto ao futuro da pedagogia e da pesquisa em jornalismo. E, porque não dizer, acaba por, promover reflexões acerca do lugar do jornalismo na sociedade brasileira.” 
Dione Oliveira Moura
Presidenta da SBPJor

“Relendo os textos selecionados para esta coletânea que celebra seus 30 anos de magistério dei-me conta dessa coerência que traduz sua maturidade intelectual num período marcado por incertezas, perplexidades e frustrações. Sua confiança na superação de obstáculos é um lenitivo para manter acesa a chama do Jornalismo que seguramente vai retirar da escuridão tantos seres humanos que permanecem à margem da paisagem civilizatória.”
José Marques de Melo
Presidente de Honra da Intercom

Eduardo Meditsch é pesquisador do CNPq nas áreas de rádio e jornalismo. Formado pela UFRGS, fez Mestrado na USP, doutorado na Universidade Nova de Lisboa e pós-doutorado na University of Texas at Austin. Professor da UFSC desde 1982, foi um dos responsáveis pelo rompimento da instituição com o ensino tradicional de Comunicação, liderou a criação da Pós-Graduação em Jornalismo e fundou a revista Estudos em Jornalismo e Mídia. Criou e dirige a Série Jornalismo a Rigor do Posjor na Editora Insular. Fundador e primeiro diretor científico da Associação Brasileira de Pesquisadores de Jornalismo (SBPJor), também ocupou cargos de coordenação na Intercom, Alaic e FNPJ. Como jornalista, trabalhou na mídia do Rio Grande do Sul e do Rio de Janeiro além da imprensa alternativa, e participou da Comissão Nacional de Ética da Fenaj. Publicou os livros O Conhecimento do Jornalismo e O Rádio na Era da Informação, organizou Rádio e Pânico: a Guerra dos Mundos 60 anos depois e Teorias do Rádio: textos e contextos, os três últimos pela Editora Insular. Vive em Florianópolis com a mulher Renata e os filhos Pedro e Diego.

Fonte: Editora Insular

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.