A fotógrafa holandesa Marrie Bot trabalha há mais de 30 anos com temas considerados tabus. Ficou conhecida, por exemplo, por suas séries em preto e branco que retratavam peregrinações de penitência feitas na Europa, pessoas com deficiências mentais ou mesmo rituais funerários.
“Geliefden – Timeless Love”, de 2004, é sua primeira série fotográfica com cores. No trabalho, as imagens mostram cenas de amor, erotismo e sensualidade com pessoas em idades avançadas. O objetivo é explorar a estranheza causada pela associação entre velhice e sexo – segundo a fotógrafa, um dos últimos tabus da sociedade ocidental moderna.
Algumas fotos do trabalho podem ser conferidas no site da fotógrafa.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.