Indígenas dizem que estão "prontos para morrer" e exigem que o governo federal finalize o processo de demarcação da terrra, declarada em 2005
19/12/2013
Ruy Sposati
de Japorã (MS)
Um dia depois da suspensão de uma das quatro reintegrações de posse contrárias à permanência de cinco mil Guarani Ñandeva no tekoha Yvy Katu, na última terça-feira (17), os indígenas anunciaram que não cumprirão as outras decisões judiciais, estão "prontos para morrer" e exigem que o governo federal finalize o processo de demarcação da terra, declarada em 2005.
"Nós estamos há mais de 78 dias e 78 noites acampados em nossa própria terra e vamos ficar por mais dois mil anos e depois para sempre. Nós não vamos sair", escreveram os indígenas em carta aberta à Presidência da República e ao Ministério da Justiça, entregue nesta quarta-feira ao Ministério Público Federal (MPF).
Sobre a decisão do Tribunal Regional Federal da 3a. Região, a comunidade afirmou: "nós não ficamos aliviados com essa decisão da Justiça, porque ela não muda nada. Nós continuamos mobilizados, resistindo contra ações dos latifundiários". Leia mais no Brasil de Fato.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.