Via Blog do Noblat
 
O Globo

USP
Um dos maiores fatores de desestabilização da vida universitária nesses últimos anos é a escolha do reitor
 
Depois de 42 dias de ocupação, estudantes da USP deixaram durante a madrugada desta terça-feira a reitoria da universidade, na zona oeste de São Paulo. A reintegração de posse foi feita pela Tropa de Choque da Polícia Militar por volta das seis horas da manhã. Não houve confronto e os jovens deixaram o prédio antes da chegada da polícia. Segundo a PM e a reitoria, o local sofreu depredações e equipamentos teria desaparecido. Dois estudantes de Filosofia foram presos. Eles afirmam que não faziam parte da ocupação e que voltavam de uma festa de seu centro acadêmico.

A PM informou pela manhã que duas pessoas tinham sido detidas na Praça do Relógio, próximo da reitoria, mas liberadas em seguida. No entanto, os estudantes Inauê Taiguara e João Vítor Moralez foram presos e indiciados pela Polícia Civil por furto qualificado, formação de quadrilha e danos ao patrimônio. Em nota, o Sintusp (Sindicato dos Trabalhadores da USP) contestou as prisões, considerando que os estudantes foram levados como “bodes expiatórios”.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.