Por Shawna Reding*

Boas notícias para jornalistas de todo o mundo à procura de inspiração e idéias para impulsioná-los na sua carreira jornalística: as inscrições já estão abertas para três dos programas de bolsas de maior prestígio nos Estados Unidos.
A cada ano, a Fundação Nieman em Harvard, a bolsa John S. Knight na Universidade de Stanford e o programa de bolsas Knight-Wallace da Universidade do Michigan oferecem aos candidatos aceites uma bolsa para que eles fiquem um ano em suas respectivas universidades.
Esses programas procuram jornalistas profissionais com habilidades avançadas e qualificações para potencial crescimento e liderança. Durante seu tempo nas universidades, os bolsistas podem escolher um projeto ou um foco de estudo e participar em cursos e seminários.
No passado, estas bolsas internacionais aceitaram vários jornalistas da América Latina. Bolsistas latino-americanos têm usado seu tempo nos notáveis programas ​​de pesquisa inovando a forma como notícias globais são produzidas e recebidas.
Aqui estão mais informações sobre os programas e alguns dos atuais bolsistas da América Latina:
- Bolsas da Fundação Nieman. As inscrições vão até 1 de dezembro para os candidatos internacionais e 31 de janeiro para os candidatos dos Estados Unidos.​
Quando Agnes Wahl Nieman deu uma generosa doação para a Universidade de Harvard em 1937, ela esperava que o programa fosse "promover e elevar os padrões de jornalismo educando pessoas consideradas especialmente qualificadas para o jornalismo." Desde então, os candidatos selecionados para a​Fundação Nieman de Jornalisma em Harvard provaram que sua missão é um sucesso.
Entre os 24 selecionados de 2014, vários companheiros latino-americanos ilustres se destacam. Por exemplo, Sandra Rodríguez Nieto,  jornalista investigativa de Juarez, no México, recebeu vários prêmios importantes, incluindo o​ 2013 Daniel Pearl Award por Coragem e Integridade em Jornalismo e o prêmio do espanhol "El Mundo", 2010 Reporteros Mundo Award pelo excelente trabalho cobrindo uma zona de conflito. Ela vai estudar "maneiras de desenvolver projetos de jornalismo sustentáveis, a ​​linha de investigação e narrativa, com foco em prestação de contas governamentais e transparência no México."
A Fundação Nieman seleciona 12 bolsistas internacionais e 12  dos EUA a cada ano.​ Clique aqui para mais detalhes.
- Bolsa John S. Knight em StanfordAs incrições vão até dia 1 de dezembro para candidatos internacionais e 15 de janeiro para candidatos americanos.
Em Stanford, bolsistas Knight começam por escolher um projeto, uma "proposta de inovação", e assistem às aulas e seminários. Após o período como bolsistas, os jornalistas dão uma apresentação do TED Talks, chamado​ Knight Talk planejado para inspirar o mundo jornalístico.
Ana Maria Carrano, chefe editorial dos projetos da​ Cadena Capriles em Caracas, na Venezuela, é uma dos 20 bolsistas mais recentes anunciados para participar do programa. Dado o seu trabalho em projetos inovadores em mídias digitais, Maria Carrano planeja produzir um site colaborativo para assuntos latino-americanos durante o seu tempo no programa.
Clique aqui para saber mais sobre a Bolsa Knight Journalism em Stanford.
Bolsa Knight-Wallace no MichiganComeça a 1 de fevereiro de 2014, tanto para candidatos dos EUA como internacionais​.
No Centro-Oeste,​ 20 candidatos escolhidos para participar na bolsa Knight-Wallace, em Michigan, vão criar um plano de estudo e viagens de uma seleção de países para estudar suas várias publicações de notícias. Durante os “tours de notícias,” os bolsistas visitam Buenos Aires, na Argentina, São Paulo, no Brasil e um país no inverno, como a Turquia ou a Rússia.
Martín Bidegaray, atual bolsista Knight-Wallace, escreve histórias relacionadas com a economia, entre outras publicações, sobre o jornal argentino Clarin. Como bolsista, Bidegaray vai prosseguir com seu projeto, intitulado "Dinastias : Famílias e os jornais de sua propriedade."
O estado do Michigan acolhe 12 jornalistas norte-americanos e seis jornalistas internacionais a cada ano.Clique aqui para saber mais detalhes.
*Shawna Reding é aluno na classe "Reporting Latin America", na Universidade do Texas, em Austin

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.