10 marcas na vanguarda do uso das tecnologias

Das redes sociais aos apps, passando pelas startups e pelos aparelhos móveis: empresas early-adopters apostam no futuro



(*) Por Cotton Delo, do Advertising Age

Todos nós já ouvimos a máxima que diz que as marcas devem se comportar como as pessoas nas mídias sociais. Sabe aquele amigo que sempre é o primeiro a te contar sobre alguma nova plataforma social e que já publicou uma dúzia de vídeos no Vine quando você finalmente decidiu experimentá-lo? Também existem anunciantes como ele. 


1) General Electric

Você não esperaria que a GE investiria em conteúdos em plataformas superpovoadas por LOLCats (combinação de fotos de gatos com textos de humor), para não mencionar pornografia, como o Tumblr, mas a empresa investiu. A empresa é, normalmente, uma das primeiras a publicar conteúdo em plataformas sociais de crescimento explosivo, do Pinterest ao Instagram.

A GE enfatiza os conteúdos inspiradores, como turbinas e motores artisticamente fotografados, orientados para a ciência. Mas ela também pode ser divertida. Um exemplo é um tweet dessa semana sobre um vídeo do Vine com um trecho do curta-metragem chamado “Datalandia”.


+
Tweet da GE sobre vídeo do Vine com trecho do curta-metragem chamado “Datalandia"
2) Pepsi

Sob a liderança do head digital global da PepsiCo Shiv Singh – que agora está a caminho da Visa –, a Pepsi se tornou uma fervorosa criadora e uma apoiadora de startups. A empresa também desenvolveu as plataformas de social TV Pepsi Sound Off e Pepsi Pulse. Pulse foi uma visualização digital de conversas online sobre o X Factor que se transformou numa reformulação do site Pepsi.com, que agora oferece tendências de histórias de cultura pop num layout semelhante ao Pinterest. Já o Sound Off foi formatado após o Twitter e deu ao público outro espaço para falar sobre o X Factor e o Super Bowl.

Durante a gestão de Singh, a Pepsi abraçou calorosamente as startups e se tornou um parceiro de primeiro hora de companhias como Foursquare, Kiip, Pongr e NewsCred. No ano passado, cerca de 10% da verba de mídia digital das marcas da PepsiCo nos Estados Unidos foram investidos em startups.



A Burberry tem cativado, assiduamente, sua audiência com imagens aspiracionais maravilhosamente iluminadas em plataformas visuais como Tumblr e Instagram, com destaque para a última, onde tem 890 mil seguidores. A Burberry também estava entre as primeiras marcas que trabalharam com o Facebook para que o Instagram oferecesse vídeos.


+
Post da Burberry no Instagram
4) USA Network
A USA mostrou um traço experimental quando usou uma integração com a Birchbox para ajudar a divulgar o retorno da série "Suits", em junho. Caixas enviadas para assinantes da Birchbox continham produtos que promoviam o seriado.

Em outra parceria para promover “Suits”, a rede fez uma campanha no Tinder, app de encontros que mostra aos usuários fotos, primeiros nomes e idade de pessoas disponíveis em sua região. Os usuários dão um like no perfil para mandar uma mensagem para alguém ou um nix para continuar procurando. Na promoção da USA, perfis falsos de personagens de “Suits” apareceram no app e deram aos usuários que curtiram esses perfis acesso a conteúdos exclusivos da série.

5) Oreo
A marca de biscoitos mostrou estar bem à frente no que diz respeito ao marketing real-time com o seu magistral tweet sobre o apagão no Super Bowl: “Você ainda pode ensopar no escuro”.

A Oreo também tem se destacado nas redes sociais com campanhas extravagantes, como a do ano passado que comemorou o centenário da marca postando imagens de diferentes bolachas ao longo de 100 dias.

Atualmente a marca está no meio de uma campanha que inclui um vídeo no Vine que mostra como fazer picolés de Oreo.


+
Vídeo no Vine que mostra como fazer picolés de Oreo
6) American Express

A AmEx tem feito experiências interessantes com pagamentos sociais. Em fevereiro passado, a empresa passou a permitir que usuários do cartão que tinham sincronizado os dados da conta com o Twitter pagassem por certos itens (como Amazon Kindle Fire HD e Xbox 360 4GB) apenas digitando uma hashtag. Este foi o passo adiante do programa Sync que a marca apregoou um ano antes no festival South by Southwest e que permitia aos usuários do cartão obter créditos para certas compras quando eles sincronizavam os seus cartões com o Foursquare, o Facebook ou o Twitter e publicavam um post sobre a loja ou o produto.


7) Purina

A Purina foi abençoada com um rico material de criação de conteúdo digital na forma de cães e gatos fotogênicos. A empresa soube maximizar o potencial viral do Facebook por meio de um modelo de banco de notícias digital em parceria com a agência Deep Focus no qual um time produz posts baseados nas tendências do noticiário do dia. A marca da Nestlé também está entre as primeiras que experimentaram os anúncios in-stream do Tumblr quando a modalidade foi lançada em maio.


8) Audi

A Audi foi pioneira numa prática que há dois anos parecia experimental, mas que agora é mais do que comum: colocar hashtags em comerciais de TV. Em 2011, a marca de automóvel foi o primeiro anunciante do Super Bowl a incluir uma hashtag (#ProgressIs) no final do seu comercial de 60 segundos.


9) Starbucks

A Starbucks fez uma grande aposta em novas tecnologias quando anunciou no verão passado que investiria US$ 25 milhões na Square e que passaria a aceitar o app de pagamento mobile da empresa em suas sete mil lojas. A rede também foi uma das primeiras marcas a apostar no Foursquare quando, em 2010, passou a oferecer descontos para os consumidores assíduos.


10) Taco Bell

A Taco Bell ganhou adereços por ser a primeira grande marca a conduzir uma experiência significativa no Snapchat. A empresa tuitou em 30 de abril que seus fãs deveriam segui-la na rede social – onde fotos se autodestroem após 10 segundos. No dia seguinte, mandou para aqueles que passaram a segui-la uma mensagem anunciando a volta do Beefy Crunch Burrito.

Tradução: Fernando Murad

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.