Profissional teve a prisão decretada há um mês e estava foragido.

STJ entendeu que decisão de 1ª instância não foi clara sobre afastamento.



Imagem: açogueiro

O médico Orlando Alves Teixeira conseguiu habeas corpus junto ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) após ter a prisão decretada há quase um mês por suspeita de cometer abortos e furtar medicamentos de unidades da rede pública de saúde, em Barra do Garças, a 516 quilômetros de Cuiabá. O ministro Sebastião Reis Júnior, relator do processo no STJ, entendeu que a decisão da Justiça de primeira instância não havia esclarecido se o médico deveria deixar de atuar na rede pública como um todo e não apenas em Barra do Garças. Íntegra da matéria de Pollyana Araújo
do G1 MT.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente esta postagem.